Publicidade
Início COVID-19 Prefeitura de São Paulo distribui tablet e SIMcard para alunos após decisão...

Prefeitura de São Paulo distribui tablet e SIMcard para alunos após decisão da Justiça

Foto: steveriot1//Pixabay

[Publicado no Mobile Time] A Prefeitura de São Paulo começou a distribuir tablets e chips de telefonia para os alunos da rede pública após decisão da Justiça Municipal pedindo celeridade na entrega. A informação foi confirmada em nota enviada pela administração da cidade e pela Procuradoria Geral do Município ao Mobile Time na noite da última quinta-feira, 29.

Os tablets e SIMcards foram adquiridos pela Prefeitura para garantir a aprendizagem dos estudantes por meio do ensino híbrido, com atividades planejadas para o período presencial e o contraturno, inclusive de reforço escolar e atividades de complementação.

O processo foi feito via licitação em agosto de 2020. Na documento, a Corte revela que a administração adquiriu 465,5 mil tablets com a empresa Multilaser ao custo de R$437,5 milhões. Já os chips de acesso à Internet foram adquiridos da Claro em janeiro de 2021 ao custo de R$ 11,7 milhões e da Oi no mesmo mês, ao custo de R$ 13,9 milhões.

Notícias relacionadas

“A entrega é descentralizada e realizada pelas escolas que, em função do momento da pandemia, estão escalonando a distribuição seguindo os protocolos e segurança. As famílias dos estudantes serão avisadas das datas e horários para retirada do equipamento nas unidades para evitar aglomerações”, informou a prefeitura em nota.

Ainda de acordo com a nota da prefeitura, os equipamentos estão sendo “montados e programados para liberação”, uma vez que a prioridade é entregar os equipamentos aos 10% de alunos que “menos tiveram acesso online em 2020”. Na sequência, o cronograma de entrega prevê a distribuição aos 20% dos estudantes que “tiveram baixa conectividade com a plataforma de ensino online e aos estudantes que tiveram pior desempenho na avaliação diagnóstica realizada no final de 2020″.

Decisão

A entrega dos lotes está atrasada, como atestou o juiz Luiz Antonio Nocito Echeveria, da 9ª Vara da Fazenda Pública, em sua decisão no dia 27 de abril deste ano.

“Embora o processo licitatório para compra desses bens já tenha sido concluído, até a presente data ainda não foram distribuídos, o que também ocorreu com a compra dos chips de acesso à Internet. Desse modo, passados mais de 90 dias da assinatura de ambos os contratos, ao menos 54% do lote 01 e integralmente o lote 02 já deveriam ter sido entregues nas diretorias regionais de ensino, o que não ocorreu”, escreveu o magistrado.

Com a confirmação da demora, o juiz pediu urgência da Prefeitura na entrega em dez dias dos lotes de tablets e chips que estão sob posse da administração da capital, além da confirmação das entregas dos equipamentos aos alunos em um mês. A ação foi pedida pela Bancada Feminista do PSOL da Câmara de vereadores de São Paulo.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile