Com um ano de pandemia, mercado de celular cresce e volta ao patamar de 2017

Foto: Pixabay

A base brasileira de celular voltou a crescer em março, encerrando o trimestre com um aumento de 0,87% – ou seja, mais de 2 milhões de adições em um mês. Desta forma, o mercado encerrou o trimestre com 240,558 milhões de acessos, com um crescimento de 2,77% em relação a dezembro do ano passado.

Segundo dados da Anatel, a última vez que o Brasil registrou mais de 240 milhões de chips foi em outubro de 2017. Conforme já noticiado por TELETIME, a base está crescendo desde junho de 2020, justamente no período em que a pandemia – e seus efeitos econômicos – já estava se agravando no País. 

Um das causas prováveis é como o mercado pré-pago se comportou no período. Desde abril de 2020, no início da crise da covid-19, esse segmento tem apresentado aumento na base. No total, são 116,365 milhões de acessos pré-pagos em março deste ano, um aumento de 0,55%. É ainda uma parte significativa do mercado, com 48,37% de participação.

Notícias relacionadas

Ainda que esteja crescendo há quase um ano, o ritmo do pré-pago não foi maior do que o avanço do pós. Este segmento aumentou 1,18% (ou 2,4 milhões de adições líquidas) somente no mês, totalizando 124,192 milhões de acessos, o que representa mais da metade (51,63%) do mercado brasileiro. 

Tecnologia

Por outro lado, o 4G reduziu o ritmo de crescimento de mais de 2 milhões de novas linhas que vinha mantendo desde setembro de 2020. A tecnologia encerrou o trimestre com 181,254 milhões de chips, um avanço de 1,03% (ou 1,839 milhão de novas linhas).

Mas o trimestre também fechou com outra particularidade: em março, foi o segundo mês seguido em que até as tecnologias legadas, o 2G e o 3G, apresentaram crescimento. No caso do GSM, foi de 0,43%, total de 26,835 milhões; e no do WCDMA, de 0,40%, total de 32,468 milhões.

Grupos 

Após a incorporação da Nextel nos dados da Claro, o grupo de prestadoras de pequeno porte diminuiu cerca de 2,7 milhões de acessos em fevereiro. Ainda assim, as operações competitivas (incluindo as MVNOs) voltaram a cair em março, encerrando o trimestre com redução de 5,43%, total de 4,245 milhões de acessos. 

No total, apenas a Claro e a Oi mostraram alteração significativa no mês, com 1,68% e 2,26% de crescimento, respectivamente. A Vivo aumentou em 0,46%, e a TIM ficou basicamente estável (0,02%) no período. Confira a participação do mercado de cada uma no gráfico abaixo.

Considerando apenas o 4G, todas as grandes operadoras tiveram crescimento semelhante em março. A Oi foi a que mais adicionou tanto proporcionalmente (2,43%) quanto em número absoluto (671,6 mil), totalizando 28,263 milhões de linhas. A Claro acabou se distanciando mais da TIM no segundo lugar, ficando com respectivamente 48,202 milhões e 43,970 milhões. A Vivo permanece na liderança, com 57,674 milhões de acessos. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.