Abert ouve de Paulo Bernardo que limpeza da faixa de 700 MHz é prioridade

O presidente da Abert, Daniel Slaviero e o vice-presidente de relações governamentais das Organizações Globo, Paulo Tonet Camargo, estiveram nesta quarta, 30, reunidos com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, e o secretário de Serviços de Comunicação Eletrônica, Genildo Lins. O assunto, como não poderia deixar de ser, foi a desocupação da faixa de 700 MHz. E os empresários ouviram do ministro que esse tema é prioridade dentro do ministério. "O ministro deixou muito claro que é um assunto que precisa avançar no curto prazo e nós estamos cientes e dispostos a dialogar para encontrar a melhor saída", disse Slaviero na saída do encontro.

Notícias relacionadas

Bernardo disse a eles que o estudo para a limpeza da faixa realizado pela Anatel já está pronto, embora ele ainda não tenha sido apresentado ao setor de radiodifusão. Segundo Slaviero, as negociações em torno do material produzido pela Anatel devem acontecer a partir da semana que vem. "Tanto o ministro quanto o secretário estão bastante seguros quanto à consistência do estudo. Eles, estando seguros, nós também ficamos confortáveis. Agora é tomar conhecimento do que ele estão imaginando para que a gente possa avançar", afirma Slaviero. "O que a gente reconhece como bastante positivo é a condução que o ministro está fazendo, ele está conduzindo pessoalmente a questão. Reforçamos a nossa disposição para dialogar e avançar", completa ele.

Slaviero se mostrou favorável à proposta de escalonar o desligamento do sinal analógico, proposta que vem sendo estudada pelo Minicom como forma de liberar antes de 2016 nos principais centros a faixa para o LTE. "Nos parece bastante razoável, até porque o início da TV digital foi escalonado. Começou pelos grandes centros e foi migrando para as pequenas cidades. Nos parece muito razoável que haja um desligamento por quem começou primeiro", disse ele.

Canais secundários

Para o presidente da Abert, a decisão de conceder um canal digital para as emissoras que hoje operam em caráter secundário "foi uma das mais corretas do ministério". Isso porque, na visão da Abert, um plano de transição não poderia deixar de fora parte do mercado. Segundo ele, o ministro garantiu que, mesmo considerando o pareamento dos canais secundários, estão sendo encontradas soluções para que a faixa seja desocupada.

Evento

O Ministério das Comunicações, a Anatel, fornecedores e radiodifusores discutem, dia 20 de fevwereiro, em Brasília, o futuro do mercado de radiodifusão e os impactos sobre a distribuição do espectro no Brasil. Trata-se do seminário Políticas de (Tele)comunicações, realizado em conjunto pela Converge Comunicações, que edita este noticiário, e o Centro de Estudos de Políticas de Comunicação da Universidade de Brasília. Mais informações sobre a programação completa do evento e sobre condições de credenciamento pelo site www.convergecom.com.br/eventos .

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.