Canal de notícias da Record, só se for no UHF

A Rede Record tem um projeto, em fase totalmente embrionária, de fazer um canal dedicado ao jornalismo. O plano é, no entanto, ainda muito restrito a este departamento da emissora, mas contempla o uso das faixas de UHF que a Record tem nas grandes cidades de 19 Estados e que há 12 anos são ocupadas pela programação da Rede Mulher. Assim, um novo canal, além de estar disponível de forma gratuita aos domicílios, estaria obrigatoriamente incluído no line-up das operadores de TV a cabo nas regiões onde a Record tem geradoras em UHF (por força da Lei do Cabo), e ainda poderia ser negociado junto aos demais operadores de MMDS e DTH, por exemplo.
A Rede Mulher soma-se à estrutura das afiliadas da Record, que tem ao todo mil jornalistas pelo País. As especulações sobre a chegada do novo canal ocorrem às vésperas do encontro dos profissionais de jornalismo da emissora, que acontece em dezembro em São Paulo.
A concessão de UHF da Record há 12 anos é ocupada pela Rede Mulher. Da programação originalmente focada no público feminino, o canal hoje ficou descaracterizado, ao fazer uma mistura de gêneros ? há uma série de horários vendidos para programas de terceiros, além de atrações como um programa especial da Polícia Militar, programa de pesca e até jogos de futebol da Uefa (também atração da TV Rede Record). A Rede Mulher tem prédio separado da sede da Record em São Paulo, nas antigas instalações da emissora, na região do Aeroporto de Congonhas.

Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.