Anatel diz que ainda não recebeu proposta da Telecom Italia

Nas negociações retomadas semana passada entre Anatel e Telecom Italia para a entrada em funcionamento da TIM, até agora apenas uma coisa é certa: a agência continua irredutível quanto às regras de participação cruzada da tele italiana na Brasil Telecom (BrT). Segundo o superintendente de serviços privados da Anatel, Jarbas Valente, só há duas maneiras de a TIM entrar em operação no momento: ou a Telecom Italia sai do controle da BrT ou a BrT antecipa as metas de universalização previstas para 2003. "Estas são as duas únicas maneiras de cumprir o que diz a Lei Geral de Telecomunicações e a Anatel não cogita nenhuma flexibilização nestas regras", disse ele.
Valente confirmou que a agência se reuniu na semana passada com executivos da Telecom Italia no Brasil, mas disse que nada de novo foi discutido. Segundo ele, foram apenas reafirmadas as condições para que a operação móvel da empresa italiana seja liberada. Valente disse também que, por enquanto, não há necessidade de conversar com o Opportunity (sócio da Telecom Italia na BrT), já que a empresa italiana tem se mostrado resistente à idéia de sair do controle da BrT.
"Eles já nos questionaram a respeito das alternativas possíveis para a saída do controle, mas nunca apresentaram nenhuma proposta formal", afirmou.

Notícias relacionadas

Controle comprovado

Sobre a argumentação usada pela TIM de demonstrar que não participa do controle da BrT, a agência é irredutível em não aceitá-la, alegando que independentemente de se analisar a definição de coligação da resolução 101 ou do Plano Geral de Outorgas, ao entrar na licitação do SMP a TIM confirmou sua coligação com a operadora de telefonia fixa. Para provar que não participa do controle da BrT, a Telecom Italia argumenta que sua posição no capital votante da tele fixa deve ser calculada com base nas seguintes relações: a empresa detém 37,29% do capital votante da Solpart, que por sua vez tem 53,45% do capital votante da Brasil Telecom Participações. E esta última é titular de 97,71% do capital votante da BrT. Assim, a participação indireta da Telecom Italia no capital votante da BrT seria de 19,47%, ou seja abaixo dos 20% que segundo as regras da Anatel caracterizariam posição de controle numa empresa de telecomunicações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.