Claro Brasil encerra primeiro trimestre com avanço nas receitas

A receita líquida total da Claro Brasil (que representa a Claro, Embratel e Net) aumentou 1,5% no primeiro trimestre deste ano comparado a igual período de 2018, segundo balanço financeiro divulgado pela empresa nesta segunda-feira, 29. O desempenho se deu por conta do avanço dos serviços móveis da Claro, que acabaram compensando a queda na receita dos serviços fixos. A companhia registrou uma receita total de R$ 8,996 bilhões, dos quais R$ 8,602 bilhões foram de serviços, também com crescimento de 1,5%. 

A receita de serviços móveis totalizou R$ 2,912 bilhões, um crescimento de 8,4%. A companhia destaca o desempenho da base pós-paga, impulsionada por planos com voz ilimitada, dados e SVAs. A receita média mensal por usuário (ARPU) cresceu 11%. 

Já a receita de serviços fixos totalizou R$ 5,689 bilhões, uma queda de 1,6%. O destaque foi para a banda larga residencial (basicamente, a Net), que cresceu 14,9% em relação ao primeiro trimestre de 2018. Por sua vez, receitas de longa distância caíram 20,6%. Com impacto especialmente do serviço de DTH da Claro TV, a TV paga encerrou março com queda de 6,3%.

Houve crescimento na receita de aparelhos de 24,9%, totalizando R$ 271 milhões. Por outro lado, a de interconexão caiu 28,9% e fechou março em R$ 123,2 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBTIDA) aumentou 16,6% e ficou em R$ 3,413 bilhões, enquanto a margem ficou 4,9 pontos percentuais acima do ano passado, com 37,9%. Excluindo a nova norma contábil IFRS16, o EBTIDA foi de R$ 3,063 bilhões (aumento de 4,6%) e a margem EBTIDA foi de 34% (avanço de 1 p.p.). A companhia destaca que os diversos projetos de transformação digital impactaram nesse desempenho, com melhor experiência do cliente e maior eficiência de custo.

Operacional

No operacional, a Claro Brasil destaca o avanço de 0,45 p.p. do pós-pago no market share, chegando a 29,94% em março. A empresa diz que avançou 15,1% (ou 3,2 milhões de adições líquidas) na base em comparação ao ano anterior. A base pré chegou a 31,9 milhões de chips no período. No total, a Claro detinha 56,4 milhões de clientes móveis.

Nos serviços fixos, a Net adicionou 74 mil novos acessos de banda larga no primeiro trimestre. No recorte das conexões acima de 34 Mbps (consideradas "ultra banda larga"), foram 4,9 milhões de acessos, o que corresponde a 54% do mercado. A empresa diz que capturou 58% do crescimento deste segmento nos últimos 12 meses, equivalente a 2,3 milhões de contratos.

Embora tenha apresentado queda na receita da TV paga, o grupo destaca a liderança na base no segmento, com 48,7% do mercado brasileiro. Especificamente em relação ao DTH, a Claro Brasil afirma que continua na estratégia de "focar em rentabilidade e em uma base de clientes mais qualificada, com objetivo de construção de um negócio mais sustentável". 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.