Cisco e Samsung ganham espaço entre fornecedores de telecom em 2021

Segundo levantamento realizado pela consultoria MTN Consulting, o mercado de infraestrutura de telecomunicações gerou US$ 231,4 bilhões em 2021 para as cem principais fornecedoras do setor. Entre as empresas que ganharam participação de mercado no período estão Cisco e Samsung.

No caso da primeira, mudanças no padrão de gastos das operadoras com redes 5G e restrições enfrentadas pela líder de mercado Huawei permitiram variação positiva de 0,7% no market share no ano passado para a empresa norte-americana. Já a fatia da Samsung cresceu 0,3% após grande contrato com a norte-americana Verizon e a consolidação dos sul-coreanos como alternativa aos principais vendors de redes de acesso (RAN).

Maiores mudanças de market share de infraestrutura de telecom em 2021. Fonte: MTN Consulting
Notícias relacionadas

No caso da Huawei (que reportou nesta segunda-feira queda nas receitas em 2021), o market share do ano passado ficou em 18,9%, frente a mais de 20% em 2020 (queda de 1,5%). A mudança não alterou a posição da empresa como principal destino dos investimentos das teles globais.

A empresa, contudo, enfrentou em 2021 sérias limitações na cadeia de fornecedores, destaca a MTN. As dificuldades são reflexo da inclusão, ainda em 2019, na Lista de Entidades dos Estados Unidos, o que implica em restrição para negócios no país e em alguns aliados, incluindo acesso a componentes.

O entendimento é que a dinâmica afetou mais o mercado de RAN; já em 2022 e 2023, os problemas da chinesa com fornecedores podem se espalhar para verticais como infraestrutura IP, óptica e para banda larga fixa, avalia a consultoria.

"Vários fornecedores estão ansiosos para buscar novas oportunidades à medida que isso acontece, incluindo Adtran/ADVA, Ciena, Cisco, CommScope, DZS e Infinera", afirmou a MTN Consulting. A Huawei, por sua vez, passou a investir fortemente em áreas como serviços, software e nuvem, além da diversificação de seus próprios fornecedores.

Tanto a Nokia quanto a Ericsson também perderam participação no mercado geral em 2021, aponta o levantamento. Mesmo que a dupla tenha absorvido parte da demanda por RAN outrora nas mãos da Huawei, a mudança dos gastos de telecom para áreas onde a chinesa não compete teria limitado o movimento. Em paralelo, a dupla escandinava aumentou o foco no segmento não-telco, em vertical na qual a Nokia cresceu dois dígitos.

Cloud

Outro aspecto pontuado pelo levantamento foi o ganho de relevância em 2021 de empresas como Amazon, Microsoft e Dell (incluindo a VMWare). "O crescimento […] é devido às mudanças contínuas das telcos na arquitetura de rede e nos padrões de implantação de serviços", afirmou a MTN Consulting, em referência às ativações envolvendo nuvem e core 5G.

Cobertura

Por último, outros vendors também alcançaram variações positivas na fatia de mercado detida no ano passado. A Corning, por exemplo, foi considerada uma vencedora "inesperada" após forte atuação em projetos de fibra óptica, incluindo com suporte de governos em alguns mercados. Já a ZTE teria se beneficiado por ativações 4G e de banda larga em países emergentes, além de abocanhar alguns contratos 5G.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.