TV e teles chegam a um acordo sobre banda C

Foto: Pixabay

[Atualizada às 10h15] As operadoras de telecomunicações e os principais radiodifusores do país chegaram a um entendimento sobre o problema das interferências das transmissões de 5G na faixa de 3,5 GHz nos sistemas de recepção de sinais de TV via satélite (TVRO). As emissoras reconheceram a eficácia do modelo com a aplicação de filtros de mitigação das interferência e o reposicionamento dos canais de TV no satélite acima da banda de 3,8 GHz, o que assegura mais 100 MHz para o leilão de 5G. Segundo apurou este noticiário, as partes devem se comprometer a dar continuidade aos testes e campo para validar os resultados já apurados nos testes feitos pelo CPQD. Também devem se comprometer a apresentar uma proposta conjunta à Anatel e ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações concordando com o modelo de mitigação e apresentando uma sugestão de operacionalização, em lugar de uma migração completa dos canais de TVRO para a banda Ku, como era a proposta original das emissoras de TV.

Na manhã desta quarta-feira, 29, conforme esperado, foi divulgada uma nota conjunta entre SindiTelebrasil e as associações Abert e Abratel. Segundo o comunicado, a apresentação da proposta à Anatel e ao MCTIC acontecerá de acordo com um "cronograma de trabalho" que será definido nos próximos dias. Confira a nota na íntegra:

NOTA CONJUNTA

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão – ABERT, a Associação Brasileira de Rádio e Televisão – ABRATEL e o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal – SINDITELEBRASIL, informam que realizaram uma série de reuniões com a finalidade de discutir propostas de soluções que permitam a convivência entre os serviços de TV aberta por satélite (TVRO) e de banda larga de quinta geração (5G).

Considerando os últimos resultados apresentados pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento – CPqD, decorrentes da utilização de novos modelos de filtros LNBFs e de uma banda de guarda de 100MHz na faixa de 3,7 GHz a 3,8 GHz, as signatárias compreendem que se torna possível a adoção de uma solução técnica de mitigação de eventuais interferências, mantendo a TVRO na Banda C, ressaltando ainda que nos próximos meses serão realizados testes complementares de campo pelo CPqD que poderão confirmar os resultados obtidos até o momento.

Ao reconhecerem a relevância da TVRO e do 5G para a sociedade brasileira, as signatárias estabelecerão nos próximos dias um cronograma de trabalho que permita a apresentação tempestiva de uma proposta conjunta ao Poder Público, mais especificamente ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC e à Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel.

1 COMENTÁRIO

  1. Hoje no Brasil nós temos uma tv por assinaturas,a operadora é muito cara no Brasil,hoje as operadoras precisam ter um conceito de ter mais assinantes no mercado para acabar com a pirataria no Brasil,qual forma devemos tomar?Colocar valores mais baixos para atingir a necessidade do consumidor só assim acaba com a pirataria iptv que é a grande virtude do mercado nacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.