'Prioridade número 1' são as unidades básicas de saúde, diz Cezar Alvarez

O Ministério das Comunicações (Minicom) tem intensificado as negociações com outras áreas do governo no âmbito do que tem sido chamado de Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) 2.0. Segundo o secretário-executivo do Minicom, Cezar Alvarez, a "prioridade número 1" é atender a demanda colocada pelo Ministério da Saúde de levar conexão às unidades básicas de saúde.

As unidades básicas de saúde são postos onde os usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) podem realizar consultas médicas, curativos, tratamento odontológico, tomar vacinas e coletar exames laboratoriais. De acordo com o Ministério da Saúde, o objetivo desses postos é atender até 80% dos problemas de saúde da população, sem que haja a necessidade de encaminhamento para hospitais. Levar banda larga a esses postos não é algo trivial, já que são cerca de 40 mil unidades espalhadas pelo Brasil.

Além do Ministério da Saúde, o Minicom tem procurado ouvir a demanda de outras pastas, como Educação, Justiça, Trabalho e Renda. No início do ano, representantes do Ministério do Desenvolvimento Social tiveram várias reuniões no Minicom e o assunto era a "Bolsa Família Internet". Alvarez disse que não há nada fechado ainda, nem mesmo o nome. A banda larga para as famílias que não podem pagar sequer os R$ 35 do PNBL atual poderá, segundo ele, ser mais abrangente e usar a base dos benefíciários do CadÚnico, o cadastro único do governo federal para programas sociais do governo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.