Plano estratégico da AT&T até 2022 inclui venda de ativos non-core

Foto: Pixabay

Após a pressão das críticas do fundo de investimentos Elliot, que detém participação minoritária, a AT&T entregou nesta segunda-feira, 28, o plano estratégico 2020-2022, que prevê tanto uma revisão de portfólio para a venda de ativos non-core quanto a determinação de não fazer qualquer outra grande aquisição como a recente da Time Warner. 

O plano de alocação de capital para o próximo triênio inclui metas de crescimento sustentável para dividendos, redução de dívida (atualmente em US$ 153,5 bilhões) com retração de 100% da dívida de aquisição da Time Warner, com uma relação de dívida líquida e EBITDA ajustado entre 2x e 2,25x até 2022. Sobretudo, a operadora se compromete a continuar a revisar o portfólio "sem nenhuma grande aquisição". 

Em comunicado, a AT&T diz que vai continuar a revisão de ativos para procurar monetizar os que não são essenciais. Desta forma, a companhia espera obter US$ 14 bilhões com a venda desses ativos non-core ainda em 2019 – a companhia já levantou US$ 1,95 bilhão com desinvestimentos na América Latina neste ano. Em 2020, a expectativa é de conseguir entre US$ 5 bilhões e US$ 10 bilhões com a venda de mais ativos. 

Vale lembrar que, além das recomendações do Fundo Elliot em setembro, estavam críticas à operação da DirecTV na América Latina. Assim, entende que ativos relacionados à TV paga na região, como a Sky Brasil, seriam considerados non-core e, por isso, poderiam entrar em uma estratégia de desinvestimento. Importante ressaltar também que o plano oficial afasta os rumores de possibilidade de a AT&T considerar expandir os negócios no Brasil como uma eventual interessada na Oi.

Otimismo

O grupo AT&T deverá atualizar a composição do conselho, uma vez que dois diretores deverão deixar a empresa nos próximos 18 meses. Um novo diretor será adicionado já na próxima assembleia, com um segundo em 2020. A expectativa é que o CEO Randall Stephenson continue "pelo menos até 2020". "O nosso plano para o triênio entrega melhorias substanciais e consistentes. Cresceremos receitas, EBITDA e lucro por ação a cada ano, e o fluxo de caixa livre ficará estável no ano que vem, mas então crescerá nos próximos dois anos também. E tudo isso é incluindo nosso investimento no HBO Max", destaca o executivo, citando a plataforma over-the-top que será lançada em 2020 na América Latina, mas ainda sem previsão de chegada ao Brasil

"Os objetivos que mostramos hoje têm sido central para nossos planos há muitos meses, mesmo antes de termos fechados nossa aquisição da Time Warner. Mas, como se poderia esperar, nosso pensamento também se beneficiou de nosso engajamento com nossos acionistas, incluindo o Elliot Management", declarou Stephenson. "Achei que o engajamento com o Elliot foi construtivo ajudou, e estou ansioso para continuar essas conversas. Eles são pessoas espertas que apreciam muito a oportunidade que temos para criar um tremendo valor para acionista."

Resultado

A receita da AT&T no terceiro trimestre caiu 2,5% e ficou em US$ 44,6 bilhões, impactada por serviços fixos legados, além da divisão de vídeo doméstico e Warner Media. O lucro líquido caiu 21,28% e ficou em US$ 3,7 bilhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.