Minicom autoriza Ginga nas Smart TVs a partir de 2021

O Diário Oficial da União desta terça-feira, 28, trouxe publicada a Portaria Interministerial nº 40, do Ministério das Comunicações, que altera o as regras do Processo Produtivo Básico (PPB) para televisores industrializados na Zona Franca de Manaus (ZFM). Uma das principais alterações é a incorporação gradual do perfil "D" do middleware Ginga (DTV Play) em smart TVs. A medida possibilita o acesso das aplicações interativas aos canais de TV aberta, tanto por broadcast quanto pela Internet.

Uma das principais características do perfil "D" do Ginga (DTV Play) é que ele possibilita a criação de serviços públicos e privados de interesse da população, permitindo que o serviço de radiodifusão aberta entre na economia digital por meio de experiências ao consumidor a partir da Integração da oferta Broadcast & Broadband (IBB).

Com o DTV Play, conteúdo como noticiários, novelas, reality shows e comerciais terão interatividade. Segundo o Fórum do Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre (Fórum SBTVD), os telespectadores terão experiências parecidas com as encontradas atualmente nos serviços de streaming.

Notícias relacionadas

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, destacou a publicação da portaria que, segundo ele, representa um importante passo para a modernização da TV no país. "É a integração da TV com a Internet que vai possibilitar a interatividade entre o telespectador e a programação".

Como era antes

O texto anterior do PPB estabelecia que 90% dos televisores fabricados na ZFM deveriam incorporar o perfil A do middleware, que será mantido. Agora, o perfil D do middleware (também conhecido como Ginga D ou DTV Play), começará a ser incorporado gradualmente a partir de 2021, substituindo progressivamente os perfis anteriores, e que ao longo do tempo atingirá um total de 90% dos televisores com interatividade.

1 COMENTÁRIO

  1. É Brasil…

    Este tal de "GINGA D" só tem FINALIDADE COMERCIAL (Carrinho de Compras no canto superior direit da TV). Qual a Vantagem disto para o tal "POVÃO"?

    É o tal PROBLEMA BRASIL: DESORDEM SOCIAL E JURÍDICA. Acontece que o PODER PÚBLICO (MC, MJ, ANATEL, etc.) em CONLUIO ao PODER ECONÔMICO (Concessionários = Jurídico ou Consórcio de Empresas = Record, RedeTV, SBT, Bandeirantes, Globo e um EXÉRCITO DE RELIGIOSOS) estão agindo SEM LEI EXPRESSA (CF/88 art. 37, 175, 220). É uma grande "ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA EM CONCESSÕES|PERMISSÕES PÚBLICAS ESSENCIAIS".

    Vejam por exemplo: MERCHANDISING (Recadaço, Dica, Mensagem, etc.) ou como explica o MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA (MCTIC) em protocolo nº 01217.004541/2020-96:

    "… a veiculação de peças publicitárias durante a programação (ou seja, fora dos intervalos comerciais) denomina-se publicidade indireta ou merchandising. Ela não está regulamentada no Brasil, por isso não existe uma regra que a limite ou impeça a sua exibição …"

    Por mais de 20 anos (240 meses) as CONCESSIONÁRIAS DE RADIODIFUSÃO (TV ABERTA) vem faturando ILEGALMENTE, por volta de R$6,5 BILHÕES MENSAIS. Ou seja, em 20 anos (240 meses) algo em torno de R$1,3 TRILHÕES ILEGAIS.

    A QUESTÃO É: COMO AS CHAMADAS "autoridades "publicas" brasileiras" IRÃO REPATRIAR ESTES R$1,3 TRILHÕES ILEGAIS DESTA "ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA EM CONCESSÕES|PERMISSÕES PÚBLICAS ESSENCIAIS" DE VOLTA AO CHAMADO "POVÃO IGNORANTE DE SUA CONDIÇÃO DE VÍTIMA"?

Deixe uma resposta para DanAQ Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.