Claro também repassará ao cliente redução do ICMS, mas sistemas legados são desafio

Presidente da Claro Brasil, José Félix. Foto: Bruno do Amaral

A Claro também se comprometeu a repassar integralmente a redução do ICMS para o consumidor. O presidente do grupo no País, José Félix, declarou em conversa com jornalistas no Painel Telebrasil 2022 nesta terça-feira, 28, que isso já é uma questão em discussão na companhia, embora os detalhes ainda devam ser definidos.

Félix lembra que o imposto incide sobre o consumidor, e não para a operadora. Mas ele assegurou que também não haveria um aumento do preço do serviço em si, de modo a compensar a redução do valor final da conta para o cliente. "ICMS é imposto, é pago pelo consumidor. A minha ideia é passar [a redução], e acho que mais consumidores terão acesso."

Porém, o executivo lembrou que os sistemas legados podem ter dificuldades de lidar com essa variação. "São sistemas poderosos em segurança e tecnologia, mas trazem muitas amarras", disse ele. Mas reiterou: o preço da conta dos serviços de telecomunicações vai cair para o consumidor. 

Notícias relacionadas

Competição e rede neutra

Analisando a tendência de consolidação e movimentos de prestadoras de pequeno porte abrindo capital, José Félix entende que há uma estratégia por parte das empresas que não seria sustentável, e que acaba afetando o mercado de banda larga. "Me engana que eu gosto, antes de morrer [a empresa] vai sair atirando para todo lado. A concorrência tem que ser saudável, é o único jeito para gerar inovação e investimento."

Para ele, a "onda de aquisição" não é muito previsível no comportamento, mas da parte da Claro ele não sabe se irá às compras. Na visão do executivo, vai depender do preço, mas também da complementaridade. "Não adianta comprar se eu tenho o mesmo número de casas passadas", aponta.

Ele ainda descartou a possibilidade de a empresa promover a separação da infraestrutura para uma nova empresa de rede neutra. "Apenas se o mundo der reviravolta muito grande, e que venha lá de cima. Queremos continuar sendo empresa verticalmente integrada."

Deixe seu comentário