Android M terá gestão de permissões por app, leitor de digital e Android Pay

O Android M, próxima versão do sistema operacional móvel do Google, foi apresentado pela primeira vez nesta quinta-feira, 27, durante o Google I/O, conferência anual de desenvolvedores organizada pela empresa em São Francisco, nos EUA. O foco do Android M está na melhoria da experiência do usuário, disse o vice-presidente de engenharia do Google, Dave Burke, em apresentação que foi transmitida ao vivo pela web. O executivo destacou seis novas funcionalidades:

Notícias relacionadas
1) Gestão de permissões – O usuário poderá gerir as permissões para cada app. A autorização não será mais fornecida quando da instalação do app, mas na primeira vez que este tentar acessar determinado conteúdo ou funcionalidade no smartphone. Bastará dar a permissão uma única vez ou, se preferir, o usuário pode conceder a permissão a cada utilização. Além disso, a lista de permissões foi simplificada, sendo composta agora por apenas oito itens: localização, câmera, microfone, contatos, calendário, sensores, SMS e telefone. É possível ver facilmente quais apps possuem permissão para acessar cada uma dessas funcionalidades do aparelho.

2) Leitor de digital – A funcionalidade de leitura de digital que já vem sendo adotada em alguns modelos Android nos últimos anos passará a fazer parte do sistema operacional. Isso vai padronizar essa tecnologia e tornar mais fácil a sua adoção por desenvolvedores de apps ao redor do mundo. Com o leitor de digital será possível desbloquear o telefone, autenticar o usuário dentro da Google Play para downloads de apps e fazer compras via Android Pay.

3) Android Pay – Trata-se da evolução do Google Wallet. O sistema de pagamento móvel por aproximação (NFC) do Google será parte integrante do Android M. Será possível associar seu cartão de crédito ao telefone e realizar pagamentos sem contato. Funcionará tanto através do app oficial quanto com apps dos bancos. O leitor de digital poderá ser usado como autenticação para os pagamentos.

4) Economia com tela ociosa – O Android M vai entrar automaticamente em um modo de "sono profundo", nas palavras de Burke, sempre que estiver repousando ocioso sobre uma mesa por um longo período. Boa parte das ações de sinalização deixarão de ser feitas nesse período, para poupar bateria. Nos testes do Google, um aparelho com Android M teve sua duração de bateria duplicada quando comparada com o mesmo modelo, com os mesmos apps, mas com o Android Lollipop instalado.

5) Integração com Chrome Custom Tabs – Os desenvolvedores poderão integrar dentro de seus apps para Android M o Chrome Custom Tabs. Isso significa que a navegação web poderá acontecer dentro do app, incluindo a memorização de senhas e o preenchimento automático de formulários hoje oferecidos pelo Chrome.

6) Links entre apps – No Android M, sempre que o usuário clicar em um link dentro de um app, a plataforma vai reconhecer se há outro aplicativo específico que deve ser aberto com aquele endereço, em vez de apresentar uma lista de opções ao usuário, como acontece hoje.

O Android M estará disponível a partir do terceiro trimestre. O primeiro aparelho provavelmente será o sucessor do Nexus 6, smartphone desenvolvido sob encomenda pelo Google. O nome completo do sistema operacional, que tradicionalmente homenageia um doce, ainda não foi divulgado oficialmente. Na imprensa internacional circula o boato de que se chamaria Macadamia Nut Cookie.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.