LG quer ser líder no Brasil em 2010

A LG tem o ambicioso plano de superar a Nokia em market share no ano que vem. Hoje, de acordo com o diretor da unidade de celulares da companhia coreana, Marcus Daniel de Souza Machado, a empresa tem uma participação de 24%, atrás da Nokia com 28%. Samsung e Motorola vêm em seguida com menos 20% de participação cada uma. "Este ano vamos consolidar nossa segunda posição. No ano que vem, vamos buscar a liderança. Existe um 'montão' de pequenas coisas que estamos fazendo para isso", diz ele.
Para atingir esse objetivo Marcus Daniel – que está há dois meses na empresa – trouxe da Motorola dois reforços para o seu time. Eduardo André que será o gerente responsável pela conta da Claro e Marta Azevedo, responsável pela conta da Vivo. Além disso, houve novas contratações na equipe que cuida da conta da TIM, liderada por Marcelo Valle e novos promotores de vendas para o mercado de varejo. O próprio Marcus Daniel ocupava a diretoria de vendas para a conta da Vivo na Nokia.
O executivo foi ouvido durante o lançamento do novo celular da LG – que vem com conteúdo embarcado da banda inglesa McFly. Como conteúdo embarcado não é mais nenhuma novidade, o celular ainda traz a função karaokê e um woofer (caixa acústica que reforça os sons graves) integrado. Além disso, o aparelho tem antena embutida o que permite sintonizar rádio FM sem usar o fone de ouvido. É possível também gravar em formato MP3 a programação de uma rádio FM. O LG Music está disponível em todas as operadoras e o preço sugerido é de R$ 399.

Notícias relacionadas
Mercado
Na opinião do executivo o mercado brasileiro deve fechar com 38 milhões a 40 milhões de aparelhos vendidos no ano, o que significa uma retomada do volume vendido antes da crise, chegando a patamares semelhantes a 2007. As vendas no primeiro trimestre de 2009, entretanto foram abaixo do mesmo período do ano passado que foi excepcionalmente bom. "O ano de 2008 foi um período fora da curva".
Marcus Daniel diz que atualmente a empresa estuda a fabricação de modens 3G. Essa decisão, entretanto, será tomada na Coréia, uma vez que a LG não participa desse mercado em nenhum lugar do mundo. Já os netbooks com modem embarcado a empresa produz no Brasil. Hoje existe um modelo sendo vendido pela Vivo.
México
Recentemente as agências internacionais noticiaram o fechamento da fábrica da LG no México e a possibilidade de a produção ser transferida para o Brasil. Marcus Daniel explica que o governo mexicano baixou de tal forma as taxas de importação que valia a pena para a empresa passar a importar todos os modelos para o mercado mexicano da China. Dessa forma, ele confirma que a fábrica foi fechada, mas desmente a informação de que a produção seria transferida para o Brasil. "Toda a demanda para o México agora vem da China. Não houve nenhuma alteração na fábrica do Brasil". A LG tem uma unidade fabril em Taubaté – responsável pela produção de aparelhos celulares, monitores, notebooks, netbooks e dispositivos ópticos – que tem capacidade para produzir 2 milhões de celulares e é responsável pela exportação para toda a América do Sul. Os demais produtos da LG como televisores DVD e linha branca são produzidos na zona franca de Manaus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.