Banda larga é serviço de telecom pior avaliado em 2021; celular pré-pago, o melhor

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Com ajustes na metodologia (mas ainda sem o selo de qualidade implementado), a Anatel apresentou nesta segunda-feira, 28, os resultados da pesquisa de satisfação e qualidade percebida de 2021. Enquanto a telefonia móvel pré-paga foi o serviço de telecomunicações com melhor avaliação entre os clientes brasileiros, a banda larga fixa teve o pior desempenho.

Na média nacional, a pesquisa com quase 82 mil respondentes refletiu em Índice de Satisfação Geral (ISG) de 6,88 para a banda larga, em nota que poderia ir até dez. Na outra ponta, o pré-pago teve ISG nacional médio de 7,82, seguido da telefonia móvel pós-paga (7,39), da telefonia fixa (7,37) e da TV por assinatura (7,13).

Para o cálculo, foram consideradas variáveis de qualidade como funcionamento, informações ao consumidor, cobranças e recargas e atendimento (telefônico ou digital). No caso da banda larga fixa, nove empresas foram avaliadas a partir de recortes estaduais; as prestadoras de pequeno porte (PPPs) se destacaram positivamente.

Notícias relacionadas

A Unifique, por exemplo, teve satisfação geral de 7,94 em Santa Catarina, ou o único estado onde participou da pesquisa; a Brisanet, por sua vez, teve média de 7,66 em cinco estados, sendo que alcançou o melhor índice individual em Alagoas (8,28). São operadoras com redes de fibra, em geral mais novas.

Já a líder de mercado Claro somou ISG médio de 6,75 em 25 unidades federativas diferentes, sendo a empresa melhor colocada em onze delas. Ainda assim, Vivo (7) e Oi (6,82) obtiveram índices de satisfação geral médios melhores na banda larga fixa. Veja maiores detalhes abaixo.

Entre os cinco serviços avaliados, a banda larga fixa teve a pior nota no quesito funcionamento (7,20); para a agência, o movimento tem relação com a maior dependência do usuário ao serviço, na esteira da pandemia de covid-19.

Celular

Uma novidade dos resultados foi a telefonia móvel pré-paga como serviço melhor avaliado pelos clientes, apesar do pior resultado entre as verticais no quesito cobranças e recargas. Por outro lado, a qualidade da informação ao consumidor foi considerada um indicador positivo pela Anatel.

No segmento, a Claro foi o grande destaque, com ISG médio de 8,13 e liderança (sozinha ou empatada) em 24 das 27 UFs onde entrou na pesquisa. Já a Oi teve a menor nota média entre as cinco participantes: 7,49.

O ISG de 7,82 do pré-pago bateu a satisfação geral média de 7,39 na modalidade pós-paga – que liderava como serviço melhor avaliado na metodologia anterior. Pesou contra o fato de clientes do modelo serem os que pior avaliam a qualidade do atendimento telefônico oferecido pelas teles.

Mais uma vez, a Claro surgiu como empresa dona dos clientes mais satisfeitos, com média de 7,61 e liderança em 25 das 27 UFs onde atua. Neste caso, a nota da Oi ficou bem abaixo da média.

TV paga e telefonia fixa

Números para o mercado de TV por assinatura também foram fornecidos, com um ISG médio nacional de 7,13. O serviço tem a melhor qualidade de funcionamento entre as verticais de telecom, mas o pior índice de qualidade da informação ao consumidor. Enquanto a Unifique teve a melhor nota do País em seu estado, a Sky ficou no primeiro lugar (sozinha ou empatada) em 22 unidades federativas.

Já a telefonia fixa teve ISG nacional maior que a TV paga: 7,37. Entre as empresas que se destacaram estão Algar, Unifique e Claro; já a Oi tem tanto uma das operações de telefonia fixa melhor avaliadas do País no Amapá quanto uma das piores, na Bahia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.