Citi acerta pendência judicial com Dantas

O Citibank aceitou um acordo com o Opportunity para o fim das pendências judiciais que correm em Nova York. Receberá em troca o reconhecimento, por parte do Opportunity, de uma participação maior na Highlake (empresa que tem 49% da Telpart, controladora da Telemig Celular). Este reconhecimento, contudo, não compensa os pelo menos US$ 300 milhões em danos que o Citi alegava, à Justiça de Nova York, terem sido causados pelo Opportunity. Isso porque, caso tenha conseguido o máximo que pedia pela Highlake (33%), o que não aconteceu (o percentual exato é confidencial, mas é menor do que esse), isso equivaleria a US$ 96 milhões, já que a Highlake receberá US$ 290 milhões pela venda da Telpart para a Vivo.
O que levou, então, o banco norte-americano a ceder? A versão oficial que será passada aos acionistas do banco é de que a pressão para que se fechasse o acordo de fusão entre Brasil Telecom e Oi era grande, já que o negócio não sairia se não houvesse um acordo judicial pleno com o Opportunity.
Já os fundos de pensão se deram por satisfeitos ao terem a garantia, por parte do Opportunity, de que o acordo umbrella será retirado, junto com outras pendências judiciais. Recorde-se que o umbrella é aquele contrato que os fundos dizem ter sido inventado por Dantas e que dava ao Opportunity poderes sobre todos os investimentos, mesmo que demitido ou destituído. Acordo que, aliás, será (ou seria) julgado pelo STJ na próxima semana.

Notícias relacionadas

Algo mais?

Mas há indícios de que há algo mais por trás do acordo entre o Citi e o Opportunity. Um indício é que até a noite de quinta, 27, o Citibank ainda pedia à Justiça de Nova York a ampliação das queixas contra Dantas. O banco norte-americano propôs inclusive um quinto complemento ao documento de acusação (Fifth Amended Complaint) estendendo o pedido de danos reparatórios que dariam origem à indenização alegada pelo Citi de pelo menos US$ 300 milhões.
A decisão final da Justiça de Nova York, marcada para o começo do segundo semestre, poderia ou não ser favorável ao Citi. Até o momento, contudo, nada indicava que Dantas fosse ter qualquer sucesso no caso. Todas as decisões liminares até aqui foram claramente favoráveis ao banco norte-americano, e em diversas ocasiões o juiz Lewis Kaplan, que preside o processo, classificou os atos de Daniel Dantas como sendo atos de, no mínimo, má-fé.
Então, se o Citi poderia levar adiante com grandes chances de sucesso uma ação em que alegava ter direito a mais de US$ 300 milhões, por que aceitar um acordo que, traduzido em valores, não tem como passar de US$ 96 milhões (e este valor é, provavelmente, menor)? Será que apenas a perspectiva de viabilização da fusão entre Brasil Telecom e Oi vale a diferença?

Pressão e passado

Sabe-se que o Opportunity estava fazendo o máximo de pressão sobre o Citi. Nos últimos dias, o banco de Daniel Dantas exigia o depoimento de Sir Win Bischoff, chairman do Citibank. O Citi dizia que essa era claramente uma manobra de pressão, já que dificilmente o chairman de um grande grupo como o Citibank teria conhecimento de detalhes que pudessem ajudar em uma briga com um ex-gestor de investimentos no Brasil.
Outro elemento de pressão que o Opportunity normalmente utilizava sobre o Citi era a ex-executiva do banco-norte americano Mary Lynn Putney. Sempre que queria fazer alguma acusação contra o Citi ou quando queria dizer que o banco havia sido conivente com os atos praticados pelo Opportunity, Dantas citava a participação de Putney. De fato, trata-se da executiva que ao longo dos sete anos em que o Citibank e o Opportunity estiveram aliados no Brasil cuidava da relação com Dantas e endossava todos os atos do Opportunity. Apenas após o afastamento de Putney (oficialmente, ela se aposentou) o Citi decidiu romper a aliança com Dantas.
De qualquer maneira, ainda que haja um entendimento entre Dantas e o Citibank para o fim da disputa judicial, ainda é preciso formalizar isso junto à Justiça de Nova York. Para ler a íntegra do mais recente documento com todas as acusações feitas pelo Citibank contra o Opportunity, clique em www.teletime.com.br/arquivos/fifth_acomplaint.zip . Esta longa lista de acusações deixará de existir após o acordo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.