Pallete, CEO da Telefónica, lembra que sem conectividade não tem Metaverso

Eu seu primeiro pronunciamento como chairman da GSMA, o CEO da Telefónica, José María Álvarez-Pallete foi ainda mais enfático do que normalmente costumava ser em relação à sua proposta de um novo contrato social que permita a ampliação dos benefícios da digitalização a todos os usuários e todos os segmentos econômicos. A crítica de fundo de Pallette é, como já característico de seus discursos, as empresas de energia, que ele confronta com o dilema entre "privacidade e serviços gratuitos".

"Precisamos de um novo ambiente que traga valor para todos e que todos tenham um retorno justo. Respeitamos todos os novos players, mas também demandamos respeito. Não queremos privilégios, mas justiça, que nos permita a competir", disse ele, em referência às empresas de Internet.

O chairman da GSMA e presidente da Telefónica lembra que o desenvolvimento das tecnologias de realidade virtual, sobretudo aquelas baseadas no Metaverso, dependerão de conectividade. "O Metaverso é baseado em 5G e em fibra, as tecnologias que nós provemos", disse na abertura do MWC 2022, que acontece esta semana em Barcelona.

Notícias relacionadas

Ele lembra que o crescimento de 50% anual no tráfego deve estar equilibrado com o retorno de quem investe na infraestrutura. 

Outro ponto enfatizado por Pallete em sua mensagem foi a necessidade de conectar ainda uma grande fatia da população não conectada. Na mesma linha foi Matts Granryd, diretor executivo da GSMA, chamando a atenção para o fato de que apesar de as operadoras terem reduzido para apenas 450 milhões a quantidade de pessoas fora das áreas de cobertura, o déficit de conectividade daqueles já em áreas cobertas ainda é de 3,2 bilhões de pessoas, o que se deve a dificuldades econômicas, acesso a conteúdo e outras barreiras.

José María Álvarez-Pallete também chamou a atenção do setor de telecomunicações para o processo de mudança nos padrões energéticas de várias indústrias em busca do objetivo de redução de energias geradoras de carbono. "O desafio climático é uma realidade para empresas e países, e não existe transição energética em a digitalização", disse o chairman da GSMA e da Telefónica.

Pallete concluiu seu discurso chamando reguladores, empresas de tecnologias e os diferentes segmentos econômicos para um novo pacto social que inclua a ciência, a colaboração, a cooperação, a privacidade do cidadão e a redução das desigualdades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.