5G chegará a 1 bilhão de usuários em 2022, mas Europa fica para trás

Foto: Pixabay

Enquanto o mundo caminha para chegar a 1 bilhão de usuários 5G ao final do ano, segundo dados da GSMA, associação que congrega operadores móveis, a Europa parece estar ficando para trás em relação ao desenvolvimento das redes de quinta geração. A África, então, sequer começou o processo de transição. Quem faz o alerta é o CEO da Vodafone, Nick Read, em sua participação no primeiro dia do Mobile World Congress 2022 (MWC 2022) que acontece esta semana em Barcelona. "No ritmo atual, vamos levar cinco anos para alcançar o patamar atual da China", disse ele.

Os números demonstram a preocupação do CEO da Vodafone. Enquanto na Coreia do Sul a cobertura 5G já supera 90%, na China já passa de 60% e nos EUA, 45% das redes já estão prontas para o 5G, a Europa ainda amarga 10%. Já a África nem aparece nas estatísticas com percentuais relevantes, diz Nick Read.

A razão para isso é, segundo Read, é a fragmentação de espectro e o ritmo relativamente lento de liberação das frequências para os operadores, além de questões tributárias.

Notícias relacionadas

O atraso da Europa chega a ser surpreendente, considerando que as operadoras europeias vinham mostrando bastante apetite para avançar no 5G com velocidade, compensando um pouco a perda de espaço que tiveram na implementação do 4G em relação às operadoras asiáticas e dos EUA.

Contudo, a pandemia, as estratégias dos diferentes países, as restrições econômicas dos países e a falta de políticas públicas de fomento e licenciamento de espectro atrasaram as coisas no velho mundo. Sem contar possíveis impactos da guerra na Ucrânia, que ainda segue imprevisível.

5G palpável

Na sua apresentação, Granryd trouxe ainda alguns números interessantes dos relatórios mais recentes da GSMA sobre os impactos do 5G.

Segundo ele, em 2021 a tecnologia chegou a 250 milhões de usuários e já chega a 20% de cobertura da população mundial (impulsionada obviamente pelos países asiáticos).

Além disso, as tecnologias móveis geraram US$ 4,5 trilhões em valor econômico, o que representa 5% do PIB global. Esse número deve subir a 5% em 2025.

A curva de crescimento do 4G ainda está iniciando a sua desaceleração. Hoje, 58% das conexões são em 4G, e esse número deve ainda cair a 55% em 2025, mas ainda com muito espaço de crescimento na África.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.