Huawei aposta no conceito de operadora em nuvem para serviços avançados

A crescente escala de adoção da transformação digital pelas empresas está provocando mudanças nas estratégias dos tradicionais fornecedores de operadoras de telecomunicações, que agora propõem uma oferta end-to-end aos clientes totalmente baseada em nuvem. A Huawei estabeleceu o tema cloud como foco central de sua estratégia de desenvolvimento e esse conceito se apresentou no Mobile World Congress, que aconteceu esta semana em Barcelona. Se até então o foco da empresa era virtualização das funções da rede (NFV), agora a fabricante chinesa propôs uma abordagem ainda mais enfática. Ela está demonstrando em três estandes gigantescos no MWC2017 soluções totalmente baseadas em cloud que vão desde o gerenciamento da rede e suas funções, passando pelos elementos de operação (gestão de clientes, billing, relacionamento etc) e chegam até à oferta de serviços, como soluções de vídeo, shopping online, e-learning, segurança preditiva e pró-ativa para ataques cibernéticos. Tudo em nuvem. Segundo a empresa, apenas uma abordagem por meio de cloud permitirá que as operadoras de telecomunicações permaneçam no centro do processo da Internet das Coisas e serviços 5G.

Alguns cases de sucesso foram apresentados. Um exemplo é a China Mobile, que viu suas vendas aumentarem 80% entre 2015 e 2016, com a adoção de uma rede de serviços em cloud para o mercado B2B, que inclui soluções para governo, agricultura, IoT e enterprise, que envolvem mais de 125 sistemas na nuvem.

Segundo Fred Zhao, gerente geral do serviço de suporte a clientes da Huawei, a tecnologia prevê uma rede NFV robusta e todo o processo de orquestração na nuvem, que é essencial para o sucesso da solução.

Outros exemplo foram mostrados pela empresa, como os da operadora TDC da Dinamarca, que teve um crescimento de trafego de 5 vezes e um ARPU de 14%; e da Sunrise, cuja rede foi reconhecida como a melhor taxa de conectividade da Suíça..

A área de suporte da Huawei conta hoje 3.900 técnicos de suporte de serviços de engenharia, 700 gerentes de projetos  e diretores técnicos, 3 centros de assistência técnica globais na China, Romênia e México. (Colaborou Samuel Possebon)

*o jornalista viajou a convite da empresa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.