BlackBerry culpa Z10 pelo prejuízo de quase R$ 1 bilhão

O balanço financeiro referente ao segundo trimestre fiscal de 2014 da BlackBerry, encerrado em 31 de agosto último, confirmou o prejuízo líquido de US$ 965 milhões que a fabricante canadense havia adiantado na semana anterior, quando anunciou ainda o corte de 4,5 mil funcionários. Vale lembrar que, em seguida, a BlackBerry comunicou o acordo de intenção de venda por US$ 4,7 bilhões com o fundo de investimentos Fairfax e cancelou a conferência que aconteceria nesta sexta, 27, para discutir os resultados financeiros.

O que chamou a atenção é que a BlackBerry atribuiu quase a totalidade do prejuízo ao encalhe de seu top de linha, o Z10, o primeiro aparelho com o novo sistema operacional BlackBerry 10 (BB10) lançado em janeiro e que a fabricante esperava poder ser seu bote salva-vidas. Segundo o relatório financeiro, perdas de inventário e aparelhos em estoque para abastecimento do Z10 somaram US$ 934 milhões. Foram também contabilizadas perdas de US$ 72 milhões para reestruturação da companhia com otimização de custos e eficiência. No mesmo período do ano anterior, as perdas haviam sido de US$ 84 milhões.

As receitas do trimestre caíram 45% em relação ao ano anterior, de US$ 2,9 bilhões para US$ 1,6 bilhão ao final de agosto de 2013. A queda em relação ao trimestre imediatamente anterior foi de 49%. A fabricante vendeu menos smartphones – foram 5,9 milhões de devices efetivamente comprados pelo usuário final – e a maioria das vendas foram de aparelhos com o sistema operacional antigo, o BalckBerry 7. A companhia não revelou o número de BB10 vendidos, mas diz que certos smarphones BB10 foram enviados durante o segundo trimestre e só serão contabilizados quando vendidos para o cliente final. As receitas com hardware ficaram em US$ 3,7 milhões (queda de 49%).

O balanço de caixa e investimentos fechou agosto em US$ 2,6 bilhões.

Em nota, o presidente e CEO da BlackBerry, Thorsten Heins, se diz "bastante desapontado com os resultados operacionais e financeiros deste trimestre" e lembra que foram anunciadas mudanças significativas para enfrentar o ambiente competitivo da fabricação de aparelhos e sua estrutura de custos. Heins mencionou que enquanto a companhia passa pelas mudanças para tentar melhorar o negócio de hardware ela continua a ter "a confiança dos clientes" e cita o aumento da penetração do BES (BlackBerry Enterprise Service) 10, que agora soma mais de 25 mil servidores comerciais e em testes instalados, frente aos 19 mil em julho de 2013. "Nós entendemos o quanto algumas das atividades pelas quais estamos passando criam incertezas, mas permanecemos uma empresa financeiramente forte, com US$ 2,6 bilhões em caixa e sem dívidas. Estamos focados em nossos mercados-alvo e comprometidos em fazer uma transição rápida para estabelecer uma empresa mais focada e eficiente".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.