CDNs da Netflix e do Google impulsionam PTTs no Brasil

Com a previsão de aumentar para 40 o total de pontos de troca de tráfego (PTTs) no Brasil, o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), que gerencia o IX.br (antigo PTT.br), trabalha para que outros pontos cresçam em termos de volume. Segundo declarou diretor de projetos do NIC.br, Milton Kaoru, isso acontece por conta da necessidade de expansão das principais redes de entrega de conteúdo (CDNs), "como o Netflix, Google e Microsoft."

Kaoru afirma que, apesar de um volume muito maior do PTT de São Paulo (responsável por cerca de 80% do tráfego brasileiro), há um aumento nas instalações em outras regiões. Ele diz que, enquanto o Google colocou duas CDNs, uma em São Paulo e outra no Rio de Janeiro, a Netflix conta com essa infraestrutura em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. "E eles (da Netflix) começam a trabalhar agora para levar essa CDN em Fortaleza, mas ainda não está confirmado", declarou ele após congresso na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em São Paulo, nesta quinta, 27.

A instalação em Fortaleza não deve ser por acaso. É na capital cearense de onde sai a rota internacional de cabos submarinos. Faz sentido que a Netflix, o 24º site mais visitado no Brasil, segundo o ranking da Alexa, armazene conteúdo localmente em vez de precisar buscar em servidores norte-americanos constantemente. Procurada por este noticiário, a Netflix no Brasil não quis confirmar a informação.

O diretor do NIC.br explica também que o Google conta com poucas CDNs na América Latina, com mais uma em Buenos Aires, por exemplo, mas nenhuma em países como o Chile. "Mas o Google não dá indícios de que vai colocar um terceiro no País ainda também", disse Milton Kaoru.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.