Vivo quer dobrar metas para FTTx em 2017

O caminho estratégico da Telefônica/Vivo para o acesso fixo passa por infraestrutura ótica. A empresa quer poder contar com mais acessos via fibra até a residência (FTTH): atualmente a empresa conta com sete cidades fora de São Paulo com a tecnologia, pretendendo mais que dobrar desse número. "Talvez cheguemos em 15 cidades no ano que vem, depende", disse o diretor-executivo de receitas (CRO) da empresa, Christian Gebara, durante conferência para analistas nesta quarta, 26. Antes do final do ano, a cidade de Cachoeira do Sul (RS) passará a ter FTTH também.

A companhia quer também avançar na infraestrutura de fibra até o armário (FTTc) adquirida com a fusão da GVT, que também permite velocidades maiores do que o acesso comum por cobre. Gebara afirma que a empresa tem atualmente 300 mil acessos FTTc, com meta de chegar a 600 mil ao final de 2017.

Gebara destaca que a oferta de IPTV deverá crescer no futuro próximo com a implantação de headends baseados na nuvem para ofertar o serviço em maior escala, inclusive em FTTc. "Estamos vendo em cloud para ter menos headends (locais), então vamos gradualmente ter maior movimento para IPTV em vez de DTH", disse.

Notícias relacionadas

Com a incorporação da GVT, neste ano a maior base de banda larga fixa da Vivo passou a ser o FTTc, responsável ao final de setembro por 46% dos 7,311 mil acessos, um aumento de 4% em relação ao terceiro trimestre de 2015. Já a base FTTH cresceu 34% e agora é responsável por 10% dos acessos. A tecnologia de cobre (xDSL) ainda é 44%, mas a base caiu 6% no ano.

Considerando as duas tecnologias de fibra (FTTx), a receita média por usuário (ARPU) aumentou 10% no comparativo anual, totalizando R$ 47,5. Já a ARPU da xDSL totalizou R$ 41,2, ainda apresentando avanço de 4% mesmo tendo reduzido a base. No total, a banda larga fixa na operadora tem ARPU de R$ 44,8, avanço de 8%.

Ao mesmo tempo, a companhia obteve crescimento de 2 pontos percentuais na participação do FTTx na receita líquida fixa (19,6%). As receitas em FTTx mostraram avanço de 19,3% e totalizaram R$ 585 milhões no terceiro trimestre. Já a xDSL teve queda de 1,5% e totalizou R$ 393 milhões.

1 COMENTÁRIO

  1. O título da notícia demonstra grandeza de objetivos. Na realidade para quem tem 60 milhões de clientes "dobrar a meta" para 600 mil na verdade passará de meio por cento para 1% em final de 2017. Ou seja NADA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.