Fixas também pedem para sair da minirreforma

Depois das celulares, foi a vez das operadoras fixas buscarem apoio do ministro das comunicações, Juarez Quadros, para tirar as empresas de telecomunicações da minirreforma tributária. Jonas de Oliveira Júnior, presidente da Associação Brasileira de Prestadoras de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix), entregou nesta segunda-feira, 26, ao ministro o pedido para que as operadoras não sofram os eventuais aumentos de impostos previstos pelo projeto de lei PL 6.665/2002, que se encontra no Congresso Nacional. A proposta carrega um aumento do PIS/Cofins que pode prejudicar especialmente segmentos com cadeias produtivas mais curtas, como o de telecomunicações. Oliveira Júnior diz que não tem ainda números para mostrar o exato impacto deste projeto sobre as operações fixas caso seja aprovado. Mas diz que se o Cofins for elevado de 3% para 8%, como se prevê, a atividade de algumas empresas poderá ser inviabilizada. Independentemente de poderem repassar o aumento ou não aos consumidores finais, as empresas de telecomunicações terão margens menores para oferecer descontos, diz ele.
O presidente da Abrafix ouviu do ministro a promessa de que veria o que poderia fazer para ajudar a resolver o impasse. Na semana passada, dirigentes da Acel (associação das celulares) visitaram Quadros com a mesma reivindicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.