TIM realiza primeira demonstração 5G em Florianópolis

A TIM realizou nesta quarta-feira, 26, uma primeira demonstração dos testes com a tecnologia 5G anunciados pela empresa no fim de maio. Com equipamentos da Huawei e utilizando uma faixa de 100 MHz na frequência de 3,5 GHz conectada à sua rede "real" (comercial), a operadora alcançou velocidades de download próximas à 1 Gbps. O piloto foi realizado em Florianópolis (SC) ao lado da organização de pesquisa e desenvolvimento Fundação CERTI.

Durante a demonstração acompanhada pela imprensa foram alcançadas taxas de download de até 951 Mbps e upload de 71,8 Mbps. No caso do download, patamares superiores à 1 Gbps já foram atingidos pela companhia, enquanto taxas de upload de até 300 Mbps são projetadas na medida que o ecossistema 5G se desenvolver. Uma comparação com o 4G também foi realizada durante o piloto, com dois dispositivos móveis da Huawei fazendo download simultâneo de um mesmo jogo com 1,7 GB: a velocidade do aparelho conectado à rede de quinta geração foi quase dez vezes maior ao da oferecida pela LTE. Uma demonstração de chamada holográfica em tempo real em FWA (rede fixo-móvel) também ocorreu.

Para o trial, foi instalada uma célula 5G da Huawei na mesma torre de telecomunicações que já atendia a CERTI (a sede do centro de P&D fica dentro do campus da Universidade Federal de Santa Catarina, a UFSC). "Não fizemos uma rede apartada ou um laboratório. Estamos rodando na rede real, a mesma do 4G, conectados com nosso gateway em Maringá (PR) e ao controle em Curitiba", afirmou o diretor de engenharia de rede da TIM, Marco di Costanzo.

Segundo o executivo, demonstrações dos outros dois projetos-piloto planejados pela companhia devem acontecer em breve. Além da CERTI em Florianópolis, a operadora também tem testes em Campina Grande (PB), onde a Nokia e o Núcleo Vitua são as parceiras; e em Santa Rita do Sapucaí (MG), com tecnologia da Ericsson e ao lado do Inatel. Conforme atesta Costanzo, ainda não houve tempo para a identificação de diferenças de desempenho entre as fornecedoras.

Um modelo similar de desenvolvimento do 5G está sendo aplicado pela Telecom Italia (controladora da TIM) no país europeu: lá, testes estão sendo realizados nas regiões de Torino, Bari e San Marino – ao lado de Ericsson, Huawei e Nokia, respectivamente. Um ecossistema com mais de 50 parceiros entre empresas, universidade e órgãos públicos também foi montado em solo italiano. De acordo com executivos da empresa brasileira, uma colaboração tecnológica com a matriz deve acelerar o desenvolvimento do 5G por aqui.

Costanzo nota que a jornada tecnológica da TIM rumo ao 5G está em curso, com previsão de lançamento de redes pré-comerciais já no ano que vem, após o leilão de frequências de Anatel previsto para março próximo. Já redes comerciais começariam a surgir em 2021 quando considerado o prazo de cerca de um ano para limpeza do 3,5 GHz (a licença usada nos testes é temporária). Ainda assim, a empresa está convencida que eventuais interferências de sistemas TVRO na frequência não devem representar um grande impeditivo para o uso da faixa.

Entre as iniciativas de "preparação" para o 5G já adiantadas está a ampliação do número de data centers da TIM distribuídos pelo País. Segundo Costanzo, 12 estruturas que suportam o core da rede estão ativas, com previsão de se alcançar 16; já as estruturas de edge computing já somam 13 ativas e devem saltar para 21 como forma de habilitar o 5G com ajuda de data centers em "bordas" mais próximas do consumidor. Dessa forma, serão 37 os data centers amparando o serviço da companhia em 29 cidades distintas.

(O jornalista viajou a Florianópolis a convite da TIM).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.