BTG Pactual lança fundo de infraestrutura focado em debêntures incentivadas

O BTG Pactual lançou nesta segunda-feira, 26, o BTG Pactual Dívida Infra, Fundo Incentivado de Investimento em Infraestrutura (FI-Infra), com foco em investir em operações de crédito privado de longo prazo via debêntures incentivadas.

 "Vemos muito potencial de crescimento para este fundo, que levantou R$ 480 milhões na primeira rodada de captação e já nasce com excelentes projetos em seu portfólio. Nosso objetivo é buscar operações que aliem retornos atrativos a bons perfis de crédito, proporcionando exposição a bons projetos e condições diferenciadas para nossos clientes", afirma em comunicado Eduardo Arraes, Head de Crédito da BTG Pactual Asset Management.

A proposta vem em um momento que o setor de telecomunicações começa a usufruir da ferramenta de captação de recursos liberada pelo governo. Os projetos de investimentos com base na emissão de debêntures incentivadas das operadoras foram liberados a partir da publicação da Portaria 502 em setembro do ano passado. A maior autorização da pasta até o momento foi para a TIM, no valor de R$ 5,7 bilhões.

Notícias relacionadas

Do final de dezembro de 2020 até o momento, o setor de telecomunicações já obteve R$ 12,3 bilhões em autorizações para emissão de debêntures incentivadas, considerando também o projeto da Algar Telecom aprovado nesta segunda-feira, 26.

As Prestadoras de Pequeno Porte (PPPs) também estão na corrida pela captação de recursos mediantes debêntures incentivadas. A Brisanet levantou R$ 529,016 milhões, enquanto a America Net obteve valor máximo de R$ 250 milhões para a emissão das debêntures, ambas com projetos aprovados neste ano. No ano passado, o Grupo Mob registrou R$ 210 milhões para a emissão de debêntures autorizados para dois projetos, enquanto a Unifique foi autorizada para emitir R$ 100 milhões.

Energia lidera

A partir do FI-Infra do banco, o investidor terá acesso a uma carteira de ativos em condições usualmente inacessíveis ao investidor qualificado. Por se tratar de investimento em debêntures incentivadas há, ainda, isenção total de IR para pessoas físicas, tanto para renda como para ganho de capital.

O patrimônio total de fundos de investimento em debêntures de infraestrutura listados em bolsa hoje é de aproximadamente R$ 4,5 bilhões, com potencial de dobrar de tamanho nos próximos anos. A expectativa é que o FI-Infra do BTG Pactual seja um dos principais vetores desse crescimento.

Comparado com outros setores, como energia, saneamento e transporte, o mecanismo ainda é usado de maneira incipiente pelo setor de telecomunicações. Dados do MCom mostram que entre 2012 e 2019, o Brasil movimentou R$ 77,7 bilhões em emissão de debêntures. Desses, 72% dos recursos foram direcionado para o setor de energia elétrica; 26% foi para o setor de transporte; 2% para o de saneamento; e apenas 1% para setor de telecomunicações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.