Lucro líquido trimestral da NII cai quase 90% e EBITDA recua 17%

A NII Holding, companhia que controla as operações argentina, peruana, mexicana e brasileira da Nextel, anunciou nesta quinta-feira, 26, seus resultados financeiros e operacionais relativos ao primeiro trimestre de 2012. E não foram nada bons. O lucro líquido no período registrou uma considerável queda de 88,7%, saindo de US$ 96,8 milhões para US$ 10,9 milhões.

A receita operacional consolidada praticamente não subiu, totalizando US$ 1,63 bilhão, somente 0,5% superior ao resultado do primeiro trimestre do ano passado. Além de não ter ampliado sua receita, o EBITDA, sigla em inglês para lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização, sofreu recuo de 17%, caindo para US$ 358 milhões.

Com uma receita de US$ 821 milhões no trimestre, o Brasil continua sendo a operação latino-americana mais importante da NII Holdings (se manteve em 50% do total), seguida por México (US$ 544 milhões); Argentina (US$ 168 milhões); e Peru (US$ 88 milhões).

As adições líquidas, no entanto, merecem uma análise à parte. A holding registrou adição líquida de 260 mil assinantes à sua rede, encerrando o mês de março com 10,9 milhões de assinantes, aumento de 41% em relação à base de assinantes de igual período de 2011. Porém, analisados por operação regional, os números revelam que o resultado só foi positivo na Argentina, que acrescentou 59 mil assinantes à sua base no trimestre, 103% a mais que os 29 mil de igual período de 2011. No Brasil, a queda foi de 41%, saindo de 189 mil, no primeiro trimestre de 2011, para 111 mil em igual trimestre deste ano. No Peru, 85% de queda, e no México, 24%. O resultado da receita operacional por usuário (ARPU) também não foi positivo: no Brasil, queda de 16%, México, queda de 10%, Argentina, redução de 8%, e no Peru, retração de 15%.

Análise

Os executivos da NII Holdings justificam os resultados alegando que 2012 tem sido um ano de transformações para o negócio da empresa, desafio que exige uma abordagem equilibrada na busca por um crescimento lucrativo durante este período de transição. Outra questão, também levantada pelo staff da holding, é o aumento das despesas operacionais relacionadas à implantação das redes 3G e às pressões de preços derivadas de um ambiente competitivo e desafiador no Brasil. Essas condições, segundo os executivos, continuarão impactando os resultados financeiros pelo restante do ano e o desafio para a empresa será implementar estratégias para aprimorar o desempenho operacional e atingir as metas da companhia.

PTT & 3G

O que acontece é que a empresa está investindo bastante na implantação de suas redes de terceira geração (3G) e na ampliação da capacidade de suas redes atuais. Só no primeiro trimestre foram US$ 234 milhões. Durante este período, a companhia completou aprimoramentos aos seus serviços Push-to-Talk (PTT) 3G no Peru, porém só disponibilizou um smartphone PTT/3G até agora. A empresa, no entanto, anunciou que lançará em breve um portfólio de novos terminais.

A melhoria dos resultados depende muito do lançamento dos serviços PTT 3G da Nextel. No Brasil, a operação inicialmente prevista para ter início no meio do ano, foi prorrogada para o final de 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.