Femtocell as a Service (FaaS) será alternativa para operadoras pequenas

Um novo modelo de aplicação para femtocell está começando a aparecer no mercado: o Femtocell as a Service (FaaS). Segundo previsão da ABI Research divulgada nesta terça-feira, 26, o serviço baseado na terceirização de infraestrutura começará a ser implementada comercialmente ainda no primeiro semestre do ano, com trials já em andamento na América do Norte e Europa. A intenção é de oferecer o compartilhamento de core de rede femtocell para pequenas e médias operadoras tanto no uso de antenas corporativas quanto residenciais.

A previsão da empresa é de que três milhões de femtocells sejam instaladas até 2018 utilizando o esquema de FaaS. A maioria na América do Norte, onde há cerca de 300 operadoras regionais menores. A ABI espera que 30 dessas companhias locais utilizem provedores FaaS em cinco anos.

A justificativa para esse modelo são os custos: para uma operadora grande, o custo por usuário para instalar um milhão de femtocells é menos da metade do que seria para uma tele de menor porte servir algumas centenas de usuários. Com o sistema "as a service", fica mais viável compensar isso ao dividir um core de rede com outras empresas.

Atualmente, só há quatro provedores com FaaS: Colt Telecom e Cloudberry Mobile na Europa; e Cellcom e ClearSky Technologies na América do Norte. Em comum, três dessas empresas utilizam tecnologia da NEC, segundo a ABI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.