Operadoras são contra mudança de índice de reajuste

As operadoras defendem a manutenção do IGP-DI como fator de reajuste das tarifas para os próximos anos. A posição, manifestada durante o seminário "As comunicações no governo Lula", realizado nesta segunda, 25, em São Paulo, bate de frente com a proposta do PT para que seja adotado o Indice de Preços ao Consumidor (IPCA), segundo informações divulgados pelo jornal Folha de S. Paulo. De acordo com Eduardo Navarro, vice-presidente de assuntos regulatórios da Telefônica, a troca é inviável em primeiro lugar pelo ponto de vista legal, já que o IGP-DI foi estabelecido no contrato de concessão, em modelo definido, inclusive, em um processo de consulta pública. Do ponto de vista econômico, segundo ele, a troca deste índice por outro baseado nos preços ao consumidor, como o IPCA, não traria benefícios ao cliente, já que o dólar, que pesa mais nos índicadores de custos no atacado, como o IGP-DI, deve se estabilizar nos próximos anos. O poder de compra da população deve aumentar e o IPCA tende a subir mais que o IGP, completou Navarro.
O presidente da Anatel, Luiz Guilherme Schymura, compartilha da expectativa do executivo da Telefônica, afirmando que os dois índices a longo prazo sempre se igualam.
Ércio Zilli, diretor de assuntos regulatórios da Telemar, também defendeu a manutenção do IGP-DI, afirmando que no tempo da Telebrás a política de conceder reajustes abaixo da inflação resultou na inviabilidade da expansão do sistema.

Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.