Viasat escolhe foguete Falcon Heavy, da SpaceX, para futuro satélite

A operadora satelital norte-americana Viasat utilizará o foguete Falcon Heavy, da SpaceX, para lançar o satélite de classe ViaSat-3. A companhia anunciou nesta quinta-feira, 25, o contrato com a empresa do bilionário Elon Musk, e declarou que a missão está prevista para acontecer "entre 2020 e 2022". O lançamento deverá ser a partir do complexo 39A no Centro Espacial Kennedy, da Nasa, na Flórida (Estados Unidos).

A escolha do foguete Falcon Heavy aconteceu pela "capacidade de voar em uma missão de injeção quase direta, inserindo o satélite ViaSat-3 extremamente próximo da órbita geoestacionária". Com isso, a operadora espera que o satélite possa começar os testes em órbita logo após o lançamento, em vez de ter que esperar semanas ou meses apenas executando manobras para alcançar a órbita desejada.

O foguete da SpaceX foi escolhido para apenas uma missão, contudo, e a Viasat não revelou qual. Os primeiro satélite da classe ViaSat-3 deverá cobrir as Américas, com o segundo encarregado de realizar a cobertura da Europa, Oriente Médio e África. Já o terceiro cobrirá a região da Ásia-Pacífico. Os artefatos de banda Ka da companhia deverão entregar mais de 1 Tbps de capacidade de rede, com possibilidade de direcionar dinamicamente a capacidade para os clientes.

A companhia diz que a escolha da SpaceX com o Falcon Heavy é "o próximo passo" para a implantação da estratégia de lançamento para o programa ViaSat-3. A ideia é garantir um cronograma pontual por meio da escolha de diferentes veículos lançadores e uma abordagem "sistêmica e integrada" no planejamento. A Viasat deverá anunciar os demais foguetes e detalhes da missão em "futura data".

Vale lembrar que o foguete de larga escala Falcon Heavy deverá ter o primeiro lançamento comercial em novembro. O veículo tem 70 metros de comprimento, capacidade de levar 10 toneladas para órbitas GEO (e 63,8 toneladas para LEO) e é tido pela SpaceX como o mais poderoso do mundo, com uma aceleração de decolagem próxima de 18 vezes a de um jato 747. Assim como o Falcon 9, ele também é reutilizável, o que significa um custo menor por quilograma. A expectativa é que no futuro a aeronave possa fazer lançamentos em intervalos regulares. O primeiro voo de testes do Falcon Heavy enviou em fevereiro deste ano uma carga da Nasa, além de um veículo da Tesla, fabricante automotivo também de Elon Musky.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.