Para Félix, principais oportunidades para o grupo estão no segmento móvel

José Félix, presidente da América Móvil no Brasil, entende que é no segmento móvel que existem as maiores oportunidades de crescimento para o grupo. Para ele, a liderança no segmento corporativo e nos serviços fixos ainda não se reflete no segmento móvel mas é possível buscar essa posição. "Tem muita oportunidade no pós-pago, onde mais crescemos, no pré-pago, que não pode ser desconsiderado, e na combinação de produtos, mas sobretudo podemos crescer em receita", disse ele em evento em Brasília, para lançar a operação em 700 MHz e os novos planos. "Queremos ser diferente no celular, com foco em Internet e em serviços", diz. A Claro aposta no Claro Vídeo, plataforma de vídeo-sob-demanda online do grupo, como um forte diferencial, assim como o Claro Música. "O grupo entende dessa coisa de distribuir conteúdo, e sempre fomos entrantes, atacando o mercado, e é com isso que vamos buscar a liderança", disse. Ele admite que a empresa ainda tem dificuldade de divulgar os serviços todos que têm "porque é muita coisa", mas lembra que hoje todos os clientes da Net têm acesso ao catálogo do Now e do Claro Vídeo, todos os clientes móveis tem o Claro Vídeo e o Claro Música. "A gente precisa se focar naquilo que dá para ser bom, e em conteúdo a gente sabe ser". Segundo ele, a oportunidade de ter acumulado por nove meses a gestão da operação de celular com a gestão do grupo permitiu entender mais profundamente os desafios e as oportunidades no segmento móvel. Lembrando que antes disso Félix havia sido o presidente da Net, que hoje cuida dos serviços fixos residenciais.

Com a chegada de Paulo Cesar Teixeira para tocar a área móvel da empresa (ou de acesso pessoal, como o grupo classifica a Claro), José Félix deixa de acumular a função e passa a se dedicar exclusivamente à gestão estratégica do grupo América Móvil no Brasil. "O momento agora é pensar nas coisas que a gente ainda não está fazendo e precisa fazer nos próximos dois ou três anos. Penso que o grupo precisa avançar muito no universo digital, atender de forma digital, novos serviços combinados", disse ele, ao definir suas prioridades daqui em diante. Isso representa para a empresa não apenas novas oportunidades de negócio como uma diminuição significativa de custos. "Consolidamos a integração das empresas e dos serviços, e agora temos que buscar essa nova posição". Ele lembra que o atendimento ao consumidor é hoje feito com base no conceito de call center, que segundo ele é caríssimo e nunca será perfeito, dada a complexidade do atendimento e volume de serviços. "Essa é uma das áreas que a gente vai investir muito forte". A outra, diz ele, é em serviços inteligentes, que utilizem as informações que a operadora tem sobre seus clientes.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Acho que c pegarem todos os parceiros antigos com SLA considerável e faser um trabalho de recuperação de base com investimentos e projetos cresceríamos muito !!! E rapidamente…hoje estamos com muito credenciamentos novos vindo de outras operadoras que não fazem vendas saudáveis!!! Devido eles já entrarem com projetos top do tipo !!! Os parceiros antigo e sérios estão esquecidos pelos coordenadores locais…..(c30056) precisamos de providências para crescermos saldáveis…a área comercial está matando a técnica já que não está investindo na venda e obrigando o parceiro investir capital da técnica para vendas…..impactando assim nosso SLA de qualidade ..grato des de já ..gostaria de uma resposta …

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.