Compartilhamento de rede vai gerar economia de R$ 200 milhões para Oi no 4G

O projeto de instalação da rede 4G da Oi até 2015 estava orçado originalmente em R$ 1 bilhão. Entretanto, com a assinatura do acordo de compartilhamento dessa infraestrutura com a TIM, o custo baixou para R$ 800 milhões, informou o COO da Oi, James Meaney, durante a coletiva de lançamento da operação do serviço de quarta geração da tele no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, 25.

As empresas não divulgam a divisão geográfica entre elas para a construção da rede 4G, mas é sabido que o Rio de Janeiro ficou a cargo da Oi, enquanto São Paulo ficou sob responsabilidade da TIM. No Rio de Janeiro foram instaladas neste primeiro momento entre 250 e 300 antenas 4G. Em 99% delas foram aproveitadas torres pré-existentes do 3G, disse Luis Alveirinho, diretor de engenharia da Oi.

Alveirinho descartou, ao menos por enquanto, uma expansão do acordo com a TIM para abranger também novas antenas 3G. Claro e Vivo fizeram uma parceria similar que abrange tanto 4G quanto 3G.

450 MHz e 700 MHz

Sobre a frequência de 450 MHz, cuja rede precisa entrar em operação a partir de junho de 2014, o diretor do projeto LTE da Oi, Carlos Eduardo Medeiros, disse que sua cobertura será restrita a áreas rurais, conforme previsto nas obrigações do leilão. "Em áreas urbanas essa faixa já é usada para alguns serviços governamentais", justificou.

A respeito do futuro leilão de 700 MHz, faixa que também servirá para 4G, Meaney disse: "temos todo interesse em participar, pois é a frequência com mais usuários 4G no mundo. No momento temos objetivos comerciais muito agressivos em 2,6 GHz, mas vemos 700 MHz como um belo complemento".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.