Ásia-Pacífico terá forte aumento nos acessos móveis até 2017

O mundo chegará à marca de 7 bilhões de acessos móveis em dezembro de 2013, de acordo com a empresa de pesquisa Pyramid Research nesta quinta-feira, 25. O levantamento aponta ainda para os mercados emergentes como os grandes responsáveis por guiar o crescimento mundial nas receitas de serviços. Esse número significativo representa uma penetração acima de 100%, embora na prática existam áreas que ainda não chegaram a tamanha adoção: África, com 65% de penetração; e Ásia-Pacífico, com 85% de penetração. Com isso, a empresa afirma que há espaço para crescimento orgânico nessas regiões. Somente na Ásia-Pacífico, a Pyramid Research espera dois bilhões de novos acessos online até 2017, sendo 89% disso em mercados emergentes na região.

Por outro lado, outra empresa mostra uma previsão menos otimista. A Analysys Mason divulgou também na quinta que as receitas em varejo de telecomunicações em geral (sem considerar apenas a indústria móvel) do nos mercados desenvolvidos dentro da região Ásia-Pacífico vão ter queda de 0,4% na média de crescimento anual composto (CAGR) nos próximos cinco anos. As receitas sairão de US$ 217 bilhões em 2012 para US$ 213 milhões em 2017. A razão para o desempenho ruim é justamente a receita em conexões fixas, principalmente em voz, que irão cair de US$ 86 bilhões para US$ 74 bilhões durante o mesmo intervalo. Pelo menos a banda larga fixa ainda encontrará espaço para aumento. Os acessos sairão dos atuais 75 milhões para 81 milhões daqui a quatro anos. A proporção de FTTH vai crescer de 42% para 48% no mesmo período.

A Analysys Mason concorda com a previsão de crescimento da Pyramid Research nas receitas na região para as comunicações móveis, saindo de US$ 131 bilhões em 2012 para US$ 139 bilhões em 2017, aumento de 1,5% por ano. O número de conexões também vai crescer: de 255 milhões para 267 milhões (aumento de 21%), o que representa uma penetração de 133% até o final de 2017. A utilização de smartphones também será maior, representando 42% dos handsets atualmente (dominando o mercado de telefones ainda no final de 2013) e saltando para 84% daqui a quatro anos. Com isso, o 3G, que já representou 63% do total de conexões em 2011 na Ásia-Pacífico, será superado pelo 4G em 2016. A previsão diz ainda que, em 2017, os acessos LTE chegarão a 63% no bloco.

Ainda assim, é importante lembrar que esses números da Analysys Mason se referem aos países desenvolvidos na região, como o Japão, Taiwan, Coreia do Sul e Austrália.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.