Oi assina parceria de franquia no atacado com a Mob Telecom

Foto: Pixabay

A Oi e a Mob Telecom anunciaram a assinatura de um memorando de entendimento para operação conjunta nos projetos de banda larga por fibra do provedor regional. A parceria é feita no modelo de franquias no Atacado da Oi e se trata de um projeto-piloto: segundo a operadora nesta quarta-feira, 25, a ideia é abrir para outros pequenos e médios ISPs em todas as regiões do País a partir do segundo semestre.

A Oi diz que o projeto de Atacado é um dos pilares do plano estratégico, "que tem como prioridade a expansão do serviço de fibra de alta velocidade em todo o Brasil". No comunicado, a operadora apenas cita o serviço móvel 4,5G e 5G ao mencionar que o mercado terá maior demanda por banda larga em fibra e pelas novas gerações de rede móvel. O objetivo da companhia é garantir um mix de receitas no segmento não regulado em áreas como conexões IP, "fiber to the city", fiber to the ISP" e "fiber to the tower".

A infraestrutura da operadora conta com 370 mil km de fibra. Segundo a empresa, trata-se da maior capilaridade nacional no mercado. Por isso, afirma que é o "centro da estratégia" acelerar os projetos para monetizar o ativo ao utilizar esse backbone e backhaul para não apenas expansão de FTTH no segmento residencial, mas também iniciativas nos mercados B2B e Atacado.

"Essa infraestrutura, não replicável, constitui um diferencial estratégico que possibilita à Oi uma qualidade superior no atendimento a empresas prestadoras de serviços de telecomunicações, provedores de Internet e empresas de infraestrutura envolvidas na cadeia de prestação desses serviços, e pretendemos intensificar a captura de oportunidades proporcionadas por essa vantagem competitiva", explica no comunicado o CEO da Oi, Rodrigo Abreu.

Vale lembrar que a Oi pode vender a sua operação móvel. A companhia recebeu autorização para convocar uma assembleia com credores da recuperação judicial para ajustar o Plano da RJ – na ocasião (ainda sem data divulgada), o desinvestimento deve ser um dos temas. TIM e Vivo demonstraram interessem em uma oferta conjunta, enquanto a Claro corre por fora. Mas a operação seria complexa, e o processo pode ser demorado. A operadora deve divulgar o balanço financeiro referente ao quarto trimestre e ao ano de 2019 ainda nesta quarta-feira, 25.

Como funciona

Em um primeiro momento, a Oi fornecerá à Mob Telecom o backbone e a transmissão, garantindo a resiliência, caching de conteúdo e melhor latência. À parceira cabem serviços aos clientes, como atendimento, oferta de produtos, canais de venda, faturamento e cobrança, além da instalação da fibra na última milha. 

A previsão da segunda etapa é a "evolução para o modelo mais tradicional de franquia, no qual além de ter acesso ao uso da rede e transmissão da Oi, o parceiro terá direito ao uso da marca e portfólio padronizado da Oi, que também será responsável pelas áreas de atendimento, faturamento e cobrança".

A Mob Telecom já tem parceria com a Oi no segmento de B2B desde 2018 em um projeto de conectividade do Banco do Nordeste, entregue em 2019. O ISP está presente em 15 estados, com atuação nos segmentos B2B, atacado e de banda larga. A Oi afirma ter "grande sinergia" com a Mob, descrevendo que as redes são complementares, "garantindo robustez aos backbones das duas companhias no Norte e no Nordeste". A empresa recentemente migrou a área de Atacado de Fortaleza para São Paulo "para ficar mais próxima da Oi". 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.