Claro Brasil apresenta queda nas receitas e ganho no EBITDA no terceiro trimestre

O balanço financeiro do grupo América Móvil divulgado nesta terça, 24, traz informações sobre o mercado brasileiro e sobre a holding Claro Brasil, que representa Claro, Net e Embratel. O resultado apresentado pela AMX é o consolidado da Claro Brasil com eliminações de transações intercompanhias e reclassificações.

Dessa forma, o consolidado da Claro Brasil mostrou uma receita de R$ 8,877 bilhões e R$ 26,632 bilhões, referentes ao terceiro trimestre e aos nos nove primeiros meses do ano, respectivamente, o que significou uma redução de 1,7% e 1,5% em relação ao ano anterior. A companhia afirma que houve influência na redução na receita de aparelhos e interconexão, que caíram respectivamente 39,2% (total de R$ 150,6 milhões) e  26,2% (R$ 166,4 milhões) no trimestre; e 46,1% (acumulado de R$ 446,1 milhões) e 30,5% (R$ 516,5 milhões) nos nove meses.

A receita de serviços, por sua vez, ficou estável no trimestre, com R$ 8,560 bilhões. No acumulado, ainda mostra aumento de 0,8%, total de R$ 25,669 bilhões.

Já o EBTIDA foi de R$ 2,661 bilhões no terceiro trimestre (avanço de 5,76%) e R$ 7,812 bilhões no acumulado do ano (crescimento de 4,35%). A margem EBTIDA subiu 2,1 pontos percentuais (p.p.) e ficou em 30% no trimestre, enquanto no acumulado de nove meses subiu 1,6 p.p. e ficou em 29,3%.

A Claro Telecom Participações também representa Claro, Embratel e Net, mas não outras empresas do grupo no País, especialmente a Embratel TVSat Telecomunicações (embora estejam sob mesma gestão, não estão abaixo da estrutura societária da companhia). No terceiro trimestre, a Claro Participações registrou R$ 7,931 bilhões na receita (queda de 3,19%), enquanto no acumulado de nove meses foram R$ 23,949 bilhões (redução de 2,07%). O EBITDA foi de R$ 2,382 bilhões (aumento de 0,46%) e R$ 7,224 bilhões (crescimento de 5,23%) no trimestre e nos nove meses, respectivamente.

Operacional

A Claro Móvel encerrou setembro com uma queda de 4,9% na base móvel, que agora totaliza 60,398 milhões de conexões. No entanto, houve aumento de 11,9% na base pós, que soma 19,338 milhões de linhas; enquanto no pré-pago houve redução de 11,2%, embora ainda totalize 41,060 milhões de acessos.

A companhia destacou no balanço o avanço de 11,9% na base pós-paga móvel, que, desconsiderando terminais de dados e comunicação máquina-a-máquina, aumentou 15,9%.  A empresa totaliza 57,1 milhões de acessos móveis, com cerca de 27,9% de market share.

Os minutos de uso (MOU) caíram 8% e agora totalizam 87. A receita média por usuário (ARPU) avançou 9,7% e agora é de R$ 15. E a taxa de churn foi alterada em 2 pontos percentuais negativos, ficando agora em 3,6%.

Já a base de unidades geradoras de receita fixas da AMX no Brasil caiu 2,8%, fechando o período com 35,962 milhões de UGRs.

Na banda larga fixa, destaca 8,9 milhões de clientes (31,2% de participação de mercado). Considerando somente conexões acima de 34 Mbps, a empresa conta com 1,7 milhão de acessos, e 46,9% de mercado.

Na TV por assinatura e somando Claro TV e Net, a companhia informa apenas que detém 51% do mercado. E detalha que a plataforma de vídeo on-demand da empresa, o Now, atingiu 1 bilhão de streamings nos últimos 12 meses.

2 COMENTÁRIOS

  1. A claro esta fazendo propagandas enganosas!
    Ela alega que o plano controle é
    ilititado p qualquer operadora, nao é veridico, se tentar ligar para numeros que iniciam com 0300 que é chamada local a ligação é cobrada, entrei em contato com Anatel e nao toma atidute! Nao entendo essa Anatel que sempre esta ao lado das operadoras!

Deixe uma resposta para Percival Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.