Anatel também regulamenta Refis das autarquias

A Anatel publicou, nesta segunda-feira, 24, sua regulamentação para adesão ao Programa de Regularização de Débitos não Tributários (PRD, também conhecido como Refis), previsto na Medida Provisória 780/2017, ainda em tramitação no Congresso Nacional. Em linhas gerais, a norma é semelhante as já publicadas pela Advocacia-Geral da União, pelo Banco Central e pela Comissão de Valores Mobiliários, com pequenas especificidades para atender ao setor de telecomunicações.

Uma das diferenças é que a confissão de dívida pela empresa interessada em aderir ao programa persistirá ainda que o parcelamento seja indeferido ou cancelado. A agência prevê um sistema digital de adesão e a aprovação somente se dará até 90 dias após o pagamento da primeira parcela e das seguintes até a manifestação da aceitação da adesão.

O texto não abre espaço para troca de parte das dívidas por investimentos, por meio de assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), como defendeu a Anatel em audiência pública sobre a MP. Porém, não está descartada a possibilidade de isso vir a ser adotado, uma vez que há emendas entre as 55 apresentadas à medida provisória nesse sentido. A dificuldade é que algumas delas estão atreladas a um projeto de refis que atende também a débitos tributários e dá até 99% de desconto nas multas, situação que não será aceita pelo governo.

Outras emendas reduzem o percentual a ser pago na primeira parcela, de até 50%. O argumento dos parlamentares é de garantir maior adesão ao programa com condições mais atrativas.

O parecer da MP 780/2017 será apresentado na Comissão Mista no dia 8 de agosto e a votação está prevista para o dia 15 do mesmo mês. Com isso, as empresas terão prazo suficiente para analisar possíveis alterações no texto antes de decidir pela adesão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.