Valente diz que tem total autonomia sobre a Telefônica

O presidente da Telefônica, Antônio Carlos Valente, negou que exista um conflito de gestão entre a matriz espanhola e o Brasil. O executivo sustenta que sempre teve total autonomia para conduzir a operação local e que, depois dos sucessivos problemas que a empresa passou, ainda gozou de mais liberdade para tomar as decisões necessárias para contornar a situação de forma mais ágil. "Quando estava em Brasília participando das audiências na Câmara recebi uma ligação de Madrid, dizendo assim: 'nós não sabemos a decisão que você vai tomar, mas qualquer que seja ela, nós apoiamos'", disse ele.
Valente ainda mencionou que a operação brasileira não só goza de total autonomia como também é uma empresa de excelência entre as outras operações do grupo. Ele listou uma série de executivos brasileiros que foram destacados para assumir cargos de chefia em outros países e soluções criadas no Brasil que foram exportadas, como o Posto Informático, solução de terceirização de equipamentos para empresas de todos os portes.
Com essas declarações, Valente, mais uma vez, assume toda a responsabilidade pelas quatro panes que a rede da Telefônica sofreu em pouco mais de um ano. "Se nós cometemos alguns erros, são erros nossos. Nossos controladores não estão na frente dos nossos roteadores", disse ele.
Cade
Sobre a multa de R$ 1,9 milhão aplicada pelo Cade pelo não cumprimento de determinação relacionado à oferta de provedores, Valente diz que a empresa entende que cumpriu todas as determinações e que vai estudar a decisão para avaliar como recorrer. "Entendo que exista a figura do pedido de reconsideração".
Telebrasil
O executivo foi ouvido durante a cerimônia de lançamento do 53º Painel Telebrasil, que, este ano, acontecerá dias 26 e 27 de agosto no Sofitel Jequitimar Guarujá. Nos anos anteriores o evento aconteceu na Costa do Sauípe na Bahia e contava com dois dias de debates. Valente explica que a mudança da dinâmica do evento – redução de um dia de debate e realização mais próxima da capital paulista – se deu em função da necessidade de focar o evento na discussão do tema que este ano é: "Projeto Nacional de banda larga – Investimento em Inovação, Produtividade e Competitividade com Inclusão Social".
Perguntado se a redução do evento e a realização mais próxima da capital teria a ver com redução de custos, Valente confirmou. "Tem a ver com custo também. Todas as empresas passaram por dificuldades", disse ele. Sobre o tema do evento, a Telebrasil pretende que a banda larga seja considerada uma prioridade nacional, ambição claramente inspirada no projeto norte-americano implantado pelo presidente Barack Obama. "Nos EUA, as TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação) estão ajudando a país a superar a crise".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.