TIM prevê investimentos de R$ 4,4 bilhões em 2021

Apresentando seu plano industrial para o triênio, a TIM revelou a intenção de investir R$ 4,4 bilhões ao longo de 2021, incluindo aportes de preparação para absorver ativos da Oi Móvel. O valor é maior que os R$ 3,8 bilhões injetados no ano passado.

Considerando o intervalo entre 2021 e 2023, o capex da operadora brasileira deve atingir R$ 13 bilhões; o valor sobe para R$ 13,5 bilhões quando considerados os ativos adquiridos da concorrente. O negócio ao lado da Claro e Vivo depende de aprovações regulatórias.

De forma geral, a TIM estima um crescimento de um dígito nas receitas e no Ebitda em 2021. No longo prazo (já com efeitos da consolidação), a previsão é de alta de quase 10% no faturamento e de dois dígitos no Ebitda.

Notícias relacionadas

Metas

No plano industrial, a operadora também revelou algumas das principais metas estratégicas para o próximo ano:

  • Nivelar o gap no espectro de frequências;
  • Aumentar a participação no crescente mercado de FTTH;
  • Transformar-se em uma referência ESG no Brasil;
  • Desenvolver propostas de valor de IoT distintas, criando ecossistemas;
  • Tornar-se a operadora móvel "preferida" pelos clientes;
  • Criar pelo menos três novos negócios como uma Plataforma de Clientes;
  • Definir benchmarks da indústria, escalando a digitalização e melhorando processos.

Em 2020, o guidance oferecido pela TIM era de crescimento de único dígito médio na receita e no Ebitda, mas os resultados finais ficaram em 0,4% e 3,2%, na ordem – muito por conta de impactos da pandemia de covid-19. Ainda assim, a empresa considera que "se mostrou antifrágil, se reinventou e apresentou resultados sólidos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.