CPqD promete LTE em 450 MHz para o fim do ano

O CPqD, que é a primeira instituição do mundo a desenvolver o LTE na faixa de 450 MHz, pretende disponibilizar a tecnologia até o final do ano, a tempo, portanto, de atender um eventual interesse das vencedoras (ou vencedora) da licitação de 450 MHz de implantar o LTE nessa faixa.

Notícias relacionadas
Embora o CPqD utilize muitos componentes existentes no mercado, a empresa trabalha no desenvolvimento de algumas patentes da área de transmissão do LTE na faixa de 450 MHz. “Naturalmente, as patentes que já existem serão respeitadas, mas existem várias oportunidades de inovação. Em 450 MHz, todo o estágio de radiofrequência precisa ser adaptado”, explica Fabrício Figueira, gerente da área de redes sem fio do CPqD.

Inicialmente, o que será produzido pelo CPqD são as eNodeBs (as ERBs do LTE) e os terminais. O chipset das eNodeBs será desenvolvido pelo próprio centro, enquanto que para os terminais, a ideia é usar chipsets de mercado, por uma questão de escala. Por enquanto, a produção será focada em terminais de acesso tipo modem para voz e dados.

O parceiro industrial do CPqD, a WxBR, a quem caberá a produção dos equipamentos, está confiante de que a vencedora (ou vencedoras) da faixa de 450 MHz poderá usar o solução nacional. De acordo com o presidente da empresa, Samuel Lauretti, o ciclo de vida do CDMA está no fim, ao passo que o LTE é a tecnologia que elas terão no futuro também nos centros urbanos. “Me parece um movimento natural de começar com uma plataforma atualizada. Essas operadoras globais tendem a ter uma estratégia de tecnologia única. Daqui a pouco vai começar a um processo de substituição das redes pelo LTE”, afirma ele.

A entidade apresentou nesta sexta, 24, ao ministro Paulo Bernardo, um protótipo da solução em funcionamento. No teste, a solução chegou a 9 Mbps de download e 4 Mbps de upload. O desenvolvimento da solução faz parte do projeto Redes de Acesso Sem Fio Avançadas (RASFA), que consumirá em três anos (até 2013) recursos da ordem de R$ 55 milhões. O projeto do LTE 450 MHz recebeu até agora R$ 8 milhões. Os recursos são do Funttel.

O CPqD apresentará a solução na CeBit, que acontece no mês que vem em Hanover, na Alemanha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.