Indústria wireless superará automobilística nos EUA, diz estudo

Qual o impacto do setor de telecomunicação wireless sobre a economia dos Estados Unidos? A CTIA, associação que representa as empresas wireless nos Estados Unidos, encomendou um estudo para o instituto de pesquisa Ovum, em 2004, para avaliar os reflexos do setor sobre a economia local e os impactos para os dez anos seguintes. O resultado, divulgado agora, indica a importância dessa área naquele país, que embora ainda seja menor que o setor de agricultura e automobilismo, e em relação ao PIB, isto se reverterá nos próximos cinco anos. A expectativa toma por base o crescimento anual de 15% da área wireles nos EUA, atualmente. O segmento wireless gerou US$ 118 bilhões em receitas e contribuiu com US$ 92 bilhões para o PIB em 2004.
Além disso, o estudo constatou que 3,6 milhões de postos de trabalho estão ligados direta e indiretamente ao setor wireless, e que essas empresas e seus empregados recolheram ao governo norte-americano US$ 63 bilhões, incluindo taxas e impostos estaduais e federal.
Os produtos e serviços wireless estimularam um consumo extra de US$ 157 bilhões em 2004, que é a diferença entre o que os usuários finais desejam pagar por um serviço ou produto e o que eles de fato pagam.
Além disso, 2,5% de todos os empregos nos EUA dependem do setor wireless. Se esse setor fosse um país, sua economia poderia ser maior que a do Egito e ocuparia o 46º lugar entre os maiores países, tomando-se por base o PIB.

Cenário para dez anos

Baseado na estimativa conservadora de que não haveria nenhum serviço adicional além dos que estão disponíveis hoje, o instituto de pesquisa estima que os serviços wireless nos EUA, nos próximos dez anos, criarão o seguinte cenário: criação adicional de 2 milhões a 3 milhões de novos postos de trabalho; adição cumulativa de US$ 450 milhões no PIB; criação de outros US$ 700 bilhões em consumo extra; e economia de custo superior a US$ 600 milhões para os negócios dos EUA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.