PSOL quer anulação das regras de compartilhamento de dados no governo

Proteção de dados pessoais, privacidade

A bancada do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) na Câmara dos Deputados apresentou na última terça-feira, 22, o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 675/2019, que anula o Decreto 10.046/2019, publicado pelo Poder Executivo na última quinta-feira, 10. O Decreto do governo cria a política de compartilhamento de dados entre as entidades da administração pública federal e cria o Cadastro Base do Cidadão e o Comitê Central de Governança de Dados. A Mesa Diretora da Câmara ainda não o despachou para as comissões por quais a proposta do PSOL tramitará.

Segundo o partido, a base de dados que integrará o Cadastro Base do Cidadão pode "se tornar um instrumento perigoso sob a administração de uma gestão de viés autoritário ou que busca vigiar ou reprimir opositores". A legenda diz ainda que "a centralização também traz problemas no tocante à segurança das informações dos cidadãos, que poderão ter verdadeiros dossiês sobre a sua vida privada. Diversos casos de vazamento por órgãos públicos evidenciam as limitações do armazenamento de informações importantes dos indivíduos. Uma base centralizada amplia os focos de vulnerabilidade para invasões e outros incidentes deste tipo".

O PSOL também diz que a norma publicada pelo governo, ao estabelecer regras para o compartilhamento de dados entre os órgãos da administração pública, colide frontalmente com o disposto na lei 13.709/2018 (Lei de Proteção de Dados Pessoais – LGPD), desconsiderando fundamentos como a autodeterminação informativa dos cidadãos (art. 2o, II) e o respeito aos direitos humanos, ao livre desenvolvimento da personalidade, à dignidade e ao exercício da cidadania pelas pessoas naturais (Art 2o, VII). Além disso, faz uso de terminologias completamente estranhas à LGPD, como "atributos biográficos" e "atributos biométricos".

O partido também questiona a estrutura do Comitê Central de Governança de Dados. Segundo a legenda, ao criar o Comitê, o Governo federal desconsidera a tradição brasileira nesta área, em que há participação multissetorial nos debates relacionados aos temas de Internet. O PSOL cita o exemplo do Comitê Gestor da Internet (CGI.br) e do recém-sancionado Conselho Nacional de Proteção de Dados e da privacidade (CNPD).

"Além de excluir a possibilidade de participação multissetorial e concentrar a participação no Comitê Central de Governança exclusivamente de entes da administração pública federal, o decreto ainda concentra neste colegiado a resolução de controvérsias no compartilhamento de dados entre os órgãos e entidades públicas federais sem estabelecer critérios claros para a resolução de tais conflitos", diz o partido.

Por fim, a bancada do PSOL aponta um possível conflito de atribuições entre o o Comitê criado pelo decreto 10.046/2019 e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). "Entende-se que algumas das competências atribuídas ao Comitê são conflitantes com as estabelecidas à Autoridade Nacional de Proteção de Dados no âmbito da Lei 13.709/2018. Por ser a autoridade, o órgão responsável por fornecer diretrizes e orientações a respeito de atividades de tratamento de dados em todo o território nacional e para os entes da administração pública, a atuação do comitê previsto no decreto deveria ser subsidiária às orientações formuladas pelo órgão central", finaliza o partido na justificativa do PDL.

O projeto do PSOL se soma ao Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 661/2019, apresentado pelo deputado André Figueiredo (PDT-CE) no último dia 10. O parlamentar também quer a anulação das regras de compartilhamento de dados contidas no Decreto 10.046/2019 e na última terça-feira foi despachado pela Mesa Diretora da Câmara para tramitar nas Comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP); Finanças e Tributação (CFT) e Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC). Além disso, desde que foi publicado, o Decreto 10.046/2019 recebeu críticas da Coalizão Direitos na Rede, que no último dia 16 publicou uma nota questionando os principais pontos da política.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.