Small cells podem levar a nova onda de contratações, aposta Alcatel

O mercado de telefonia móvel deve viver, nos próximos meses, um novo movimento de alinhamento de posições entre fornecedores e operadores. Pelo menos essa é a aposta da Alcatel-Lucent (ALU) para ampliar sua posição no segmento móvel brasileiro. O elemento que desencadeará essa movimentação é a regulamentação das regras e política de desoneração das small cells, segmento em que a ALU é uma das pioneiras e sobre o qual coloca todas as suas fichas depois de ter ficado praticamente fora do hall de fornecedores para as redes 3G e ter pego apenas uma parte do contrato da Oi para 4G. Segundo Javier Falcon, presidente da ALU no Brasil, já haveria dois contratos encaminhados entre a empresa e dois operadores para provimento de small cells (femto, para cobertura indoor, e metrocélulas, para cobertura outdoor), que devem ser anunciados tão logo a regulamentação seja conhecida.

Segundo o executivo, a operadora já tem três contratos para esse tipo de rede na América Latina, e em todos os casos o fornecedor da infraestrutura de core e macro-células é diferente. "Estamos testando a integração com outros fornecedores e tudo tem funcionado bem".

Banda larga fixa

A Alcatel Lucent é a única, entre as grandes empresas fornecedoras, que ainda pode dizer ter uma posição de liderança no mercado de banda larga fixa. A maior parte dos acessos ADSL no mundo hoje é da ALU, e a empresa ainda espera tirar o máximo desse tipo de infraestrutura legada com tecnologias como VDSL, bonding e vectoring, que fazem a combinação de vários pares de fio de cobre com um melhor tratamento espectral, e rede de acesso óticas no caso de novas infraestruturas. No caso brasileiro, o desafio da ALU é que o principal player de banda larga fixa, a Net, utiliza uma rede HFC, para o qual a empresa aposta em uma tecnologia nova, o EPON, que ainda não está sendo utilizada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.