Apple apresenta iPad mini e nova geração do iPad tradicional

Apesar da quantidade de rumores na Internet, a Apple surpreendeu ao apresentar nesta terça-feira, 23, não apenas o iPad mini, mas também a quarta geração do iPad original. A nova versão tradicional do tablet ganha algumas melhorias apenas seis meses depois de a companhia ter apresentado a terceira geração, aparentemente extinta a partir da próxima semana. Já a versão mini, a grande expectativa no evento em San Jose, na Califórnia, mostrou em uma comparação qual é o seu real foco: impedir o crescimento dos dispositivos de 7 polegadas equipados com o Android, da rival Google.

Notícias relacionadas

Apresentado pelo vice-presidente de marketing da Apple, Phil Schiller, a versão menor do aparelho traz uma diferença fundamental que o iPad original não tem: pode ser segurado com apenas uma mão. Isso porque, além de seu tamanho naturalmente menor, ele mede apenas 7,2 mm de espessura, comparável a um lápis, ou cerca de um quarto a menos em relação ao novo iPad. Ele também é 53% mais leve, pesando 308 gramas.

Com uma "moldura" menor do que o do concorrente Nexus 7, do Google, o iPad mini conta com tela de 7,9 polegadas – 0,9 polegada a mais do que o rival com Android e 1,8 polegada a menos do que a versão maior do iPad. A resolução é a mesma da segunda geração do tablet da Apple, com 1.024 x 768, o que significa que não haverá necessidade dos desenvolvedores readaptarem os aplicativos já feitos para iPad.

Internamente, ele é "igual ou melhor" do que o iPad 2. O aparelho conta com processador dual-core A5, câmera frontal em HD (720p) e traseira de 5 megapixels e gravação em 1080p. O dispositivo tem ainda Wi-Fi de banda dupla (2,4 GHz e 5 GHz), LTE (assim como do iPhone 5, sem menção à faixa de frequência utilizada no Brasil) e DC-HSDPA (3G duplo, que utiliza alocações pares de 10 MHz ou 15 MHz para melhor eficiência espectral), conector Lightning (igual a do iPhone 5) e bateria com duração de dez horas. O iPad mini tem um tipo específico de SmartCover, a capa protetora com ímãs que serve de apoio, adaptada ao seu tamanho e disponível em cinco cores. O tablet em si virá em branco com traseira cromada e preto com traseira na mesma cor, mas fosco.

O iPad mini estará disponível em uma grande lista de países europeus e norte-americanos, mas que não inclui o Brasil ainda, a partir do dia 2 de novembro, com pré-venda a partir do dia 26 de outubro. Os modelos disponíveis são de 16 GB por US$ 329, 32 GB por US$ 429 e 64 GB por US$ 512. Para os modelos "celular", ou seja, com LTE e DC-HSDPA, são mais US$ 130 para cada modelo.

iPad 4

A quarta geração do iPad está sendo lançada nas mesmas datas que o iPad mini. Apesar de alguns rumores terem previsto essa manobra da Apple, poucos apostavam em uma renovação do tablet original tão pouco tempo depois de lançada a terceira geração, com apenas seis meses de intervalo e fugindo da tradição de comportamento da empresa.

O iPad 4 é, na verdade, uma atualização do tablet de 9,7 polegadas, contando agora com processador A6X, que, segundo a Apple, duplica a performance da CPU e dos gráficos. Além disso, ele traz câmera frontal também em 720p e incorpora o novo processador de imagem já usado no iPhone 5. Outra novidade é o conector, que agora também é do tipo mais novo, o Lightning. A tela continua a mesma com tecnologia Retina.

Assim como o irmão menor, o aparelho tem Wi-Fi dual-band, DC-HSDPA e LTE compatível com o das operdoras Sprint e KDDI. O preço continua o mesmo da terceira versão, começando por US$ 499 no modelo de 16 GB na versão Wi-Fi e US$ 629 na versão LTE. Novamente, o lançamento não estará disponível no Brasil de imediato.

Números

A Apple também divulgou números sobre o tablet. Segundo a empresa, foram 100 milhões de iPads vendidos desde a primeira versão, lançada há dois anos e meio. A companhia afirma que esses produtos foram mais vendidos no segundo trimestre do que qualquer fabricante de PC com toda a sua linha de desktops e notebooks.

Citando as 500 maiores empresas da revista Forbes, o slate da Apple está presente em 91% dessas grandes corporações. O tablet também está sendo bastante utilizado para ensino, chegando a 2.500 escolas norte-americanas. Os Textbooks, livros didáticos para o aplicativo iBook, está disponível em mais de 80% do currículo escolar dos EUA.  

O evento ainda demonstrou a nova linha de MacBook Pro de 13 polegadas com tela retina e novos Mac Mini e iMac.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.