Congresso de Satélites traz modelos inovadores de conectividade banda larga e IoT

Alguns dos novos projetos inovadores de conectividade via satélite estarão em destaque no Congresso Latinoamericano de Satélites, organizado pela Glasberg Comunicações em parceria com a TELETIME e que acontece nos próximos dias 31 de agosto, 1 e 2 de setembro. Durante o evento, serão apresentados os projetos de novas empresas, como Astranis, Kepler Communications e Sateliot, além de novos serviços e abordagens de operadoras tradicionais.

As novas empresas que falam pela primeira vez no Congresso de Satélites se destacam por trazerem abordagens diferentes para o problema de prover conectividade em todos os lugares do planeta por meio de infraestrutura via satélite.

O projeto da Astranis, que será apresentado no evento pelo seu diretor global de vendas, Christophe Bauer, consiste no uso de micro-satélites geoestacionários. A Astranis é uma start-up avaliada na última captação de recursos em quase US$ 1,5 bilhão que opera essa constelação e também constrói os satélites. A empresa foca no desenvolvimento de satélites de altíssima capacidade mas que pesam cerca de 300 kg, um terço dos satélites convencionais, o que reduz significativamente os custos de produção e lançamento e também permitem prazos de desenvolvimento e construção bem menores.

Notícias relacionadas

Já a Kepler Communications será apresentada pelo seu CTO e co-fundador, Wen Cheng Chong. A empresa canadense está construindo e operando uma rede de satélites de órbita baixa (LEO) com nano satélites para aplicações de transferência de dados intensiva e aplicações de IoT. A empresa recentemente solicitou à Anatel a autorização de operação no Brasil.

A Sateliot tem uma proposta semelhante para uma constelação de 100 satélites nano em órbita baixa. O projeto será apresentado pelo CEO da empresa, Jaume Sanpera. A Sateliot é uma empresa espanhola e o foco da empresa é a conectividade de dispositivos de IoT utilizando protocolos de comunicação 5G iguais aos utilizados pelas operadoras de telecomunicações, de modo a viabilizar uma conexão direta destes dispositivos 5G com a rede de satélites.  

Modelos inovadores

O evento também terá a participação das operadoras de satélite já estabelecidas, como a Telesat (que aposta em uma constelação de órbita baixa), SES (com o desenvolvimento de sua nova geração de satélites de órbita média O3b M-Power), Eutelsat (que recentemente se tornou acionista da rede de satélites LEO Oneweb) além das operadoras ABS (com foco em micro-satélites GEO). Operadores que optaram por caminho de satélites de grande porte e alta capacidade, como Intelsat, Hispasat, Viasat e StarOne também participam do evento. Também empresas que lideram o desenvolvimento de soluções para o segmento terrestre e agregadores, como Spacebridge, Gillat e SatADSL, participam do evento. Para analisar o cenário de novos negócios e oportunidades na indústria de satélites, o evento terá a apresentação do principal analista da NSR, Lluc Palerm.

Mais informações sobre a programação e condições de inscrição estão disponíveis no site www.satelitesbrasil.com.br . Alguns dos conteúdos do evento são gratuitos. Confira a programação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.