Huawei Digital Power: data centers serão sustentáveis, simplificados e autônomos

Wang Xindang, presidente da Huawei Digital Power Latam, fala durante o Latam ICT 2022

A redução das emissões de carbono está se tornando um mantra em todas as áreas de Huawei. Do desenvolvimento de soluções de energia à construção de data centers, a companhia vem trabalhando para cumprir a meta de zerar as emissões de carbono até 2030, como proposto pela ONU, e demonstrou isso durante o Latam ICT Congress 2022.

O presidente da Huawei Digital Power Latam, Wang Xindang, lembrou que 136 países firmaram este compromisso e que a divisão da empresa comandada por ele foi criada com foco na neutralização de carbono. "Estamos fazendo isso integrando tecnologias digitais e eletrônicas para ajudar a o mercado na revolução que vai levar ao mundo verde", afirma.

Para isso, a companhia vem desenvolvendo soluções de geração e distribuição de energia coordenadas a partir da nuvem, atendendo à demanda em áreas como utilities, comercial e industrial, residencial, micro grid e storage. "São soluções que já estão sendo utilizadas em diversos países da América Latina", diz, citando como exemplo uma planta de geração de energia solar, localizada na Argentina, que conta com 1 milhão de painéis solares e usa equipamentos da empresa.

Notícias relacionadas

Outros exemplos são o projeto verde em implementação no aeroporto de Paduhel, no Chile, e a construção, nas margens do Mar Vermelho, da maior planta de armazenamento de energia, esta em parceria com a Huawei ESS, e de outras unidades de armazenamento na Guatemala e no Chile. "Nossa estratégia é construir e integrar nosso ecossistema com parceiros de vendas, de serviços, de soluções, organizações industriais e academia e centros de treinamento, criando as soluções mais completas para o mercado", revela.

Uma das soluções que refletem essa preocupação é o que a empresa chama de rede de baixo carbono. Segundo o especialista em Site Power Solution da Huawei Digital Power, Horacio Martin, a busca da redução de carbono em redes de telecomunicação torna-se ainda mais necessária com a chegada das redes 5G, já que elas devem fazer crescer ainda mais os custos de energia por conta de novas aplicações como smart homes, saúde online e educação online, entre outras.

"Esse modelo de construção exige o uso de baixo carbono em todo o ciclo de vida. No desenvolvimento, na operação e no O&M", explica. NO desenvolvimento, por meio da implementação de redes simplificadas; na operação, com a aplicação de processos de alta eficiência energética e, por fim, com o uso de O&M inteligente. É seguindo esse modelo que o uso da solução Site Power tem levado aos clientes, em média, 30% de redução no TCO.

Rafael Alarcon, expert em soluções da Huawei

A busca pela redução do consumo passa também pelo modo como as empresas vem desenhando suas infraestruturas, incluindo seus data centers. O expert em Soluções de Data Center da Huawei Digital Power, Rafael Alarcon, lembra que essa busca tem tornado a construção de data centers extremamente complexa. "Daqui para frente, o mercado vai demandar data centers mais eficientes, sustentáveis, simplificados e autônomos", diz.

Para buscar essa simplicidade, a Huawei está apostando no uso de arquitetura modular (módulos de energia, de resfriamento, de processamento etc.) que torna a expansão mais ágil e, ao mesmo tempo, facilita a manutenção. Alarcon compara o modelo com os data centers tradicionais, quando geralmente se levava cerca de oito meses do provisionamento à implementação de um novo equipamento. "O modelo modular permite que isso seja feito em três ou quatro meses", compara Alarcon. (* – Este conteúdo é patrocinado pela Huawei)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.