Primeiras homologações do Internet Brasil (chip neutro) podem sair esta semana, sinaliza RNP

A RNP tem a expectativa de publicar nos próximos dias, possivelmente ainda esta semana, a homologação do resultado de pelo menos uma das etapas do edital para a contratação dos fornecedores que vão atender ao Internet Brasil, programa brasileiro dedicado à conectividade com 4G para alunos e estudantes e que nesta primeira etapa prevê R$ 160 milhões para conectar 700 mil alunos, podendo no futuro chegar a 22 milhões. Trata-se do edital que traz o modelo de chip neutro, em que o governo, seleciona não apenas empresas que vão prover o plano de dados mas também um a plataforma de gestão de chips que pode funcionar com qualquer provedor de conectividade móvel que venha a ser contemplado.

A explicação foi dada por Antônio Carlos Nunes, diretor de serviços e soluções da RNP, durante o evento WRNP 2022, realizado esta semana. Ele explica que existem complexidades no projeto e por isso a RNP optou por não estabelecer datas específicas para a divulgação dos resultados. O último adiamento de uma data pré-definida foi dia 10 de maio, e desde então a RNP, responsável pela contratação, decidiu adiar sem colocar novos deadlines. Segundo Nunes, a ideia é anunciar o resultado de um dos editais e o outro nos dias seguintes, sem dar detalhe de qual sairia primeiro.

Pedro Lucas de Araújo, diretor de investimentos e inovação do Ministério das Comunicações, se mostrou confiante na conclusão do processo e ressaltou a importância de trazer uma nova forma de adquirir serviços móveis pelo governo. "Quando a gente pensou no Internet Brasil a ideia não era fomentar a tecnologia de chip neutro necessariamente, mas esse modelo abriu possibilidades que são importantes para o governo, na gestão dos planos de dados para o Internet Brasil e em futuras políticas públicas", disse. A ideia é que o governo possa gerenciar qual operadora vai atender qual aluno em função da qualidade do sinal, cobertura, custo e franquia de dados.

Notícias relacionadas

Para o professor da Universidade Federal do Pará, Aldebaro Klautau, o Brasil tem uma oportunidade única de entender e pesquisar formas de entregar serviços a partir dos eSIM, que são como pequenos computadores, e isso abre muitas possibilidades de desenvolvimento de conhecimento na área de Internet das Coisas, por exemplo. "Esse modelo (de operação com chip neutro) é muito inovador, e tem um componente de nos dar soberania sobre a tecnologia móvel", disse Klautau. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.