Claro, Embratel e Ericsson levam 5G para Hospital das Clínicas em SP

Foto: Pixabay

Colaboração entre a Claro (com a Embratel), Ericsson e o núcleo de inovação do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (InovaHC) vai levar a conexão 5G para robôs no centro cirúrgico do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp). A parceria tem como objetivo realizar uma prova de conceito (PoC) ainda neste primeiro semestre para implantar sensores que monitoram sinais vitais de pacientes que podem ser acompanhados a distância por equipe médica

Segundo anunciou nesta quarta-feira, 23, a participação da operadora será por meio do hub de inovação beOn Claro, com a Embratel integrando soluções e habilitando a infraestrutura digital. Por sua vez, a Ericsson deverá fornecer os equipamentos, e a startup potiguar NuT será a responsável por implantar as "técnicas de integração de dados". 

A estrutura para os primeiros testes já está implantada. A operadora afirma que o HC é o primeiro hospital público a contar com cobertura da tecnologia 5G. A Universidade paulistana, por sua vez, também tem projeto de conectividade 5G com a Claro e Ericsson.

Notícias relacionadas

Conforme antecipado por TELETIME em dezembro do ano passado, o InovaHC já efetue testes com a quinta geração na faixa de 3,5 GHz com licença experimental no projeto OpenCare 5G, em parceria da Deloitte com TIP, ABDI, BID, NEC e a Escola Politécnica da USP.

PoC

O projeto da Claro terá integração das informações de monitoramento do paciente cirúrgico (sinais vitais) com base de dados para acompanhamento e avaliação pela equipe médica de forma remota. "Dessa forma, os agentes poderão fazer a avaliação tecnológica de latência, velocidade, estabilidade, qualidade e segurança, entre outros itens, na transmissão e demonstração dos dados via tecnologia 5G. As informações permanecerão dentro da instituição e serão transmitidas e organizadas em um banco de dados de forma anonimizada, ou seja, sem que possa identificar a que paciente se referem."

As próximas etapas da pesquisa terão a integração de tecnologia para "possibilitar mais segurança e qualidade às cirurgias", além de desenvolvimento de novos serviços de apoio e educação a distância. "O intercâmbio de experiências proporcionado pela parceria da Claro e da Embratel com a Ericsson, a NuT e o InovaHC permitirá a criação de soluções disruptivas, a identificação de novos mercados e o fomento da inovação a partir das novas redes, novos sensores e da computação de borda, possibilitando a descoberta de novas oportunidades para suprir as necessidades da área", destaca em comunicado a diretora-executiva da Embratel para Governo, Maria Teresa Lima..

Deixe seu comentário