Sprint adquire participação na plataforma de streaming de música Tidal

Sprint

A operadora norte-americana Sprint adquiriu 33% do serviço de streaming de música Tidal. O acordo, anunciado como "parceria" nesta segunda-feira, 23, prevê a distribuição da plataforma para os 45 milhões de clientes pré e pós-pago da tele, além da entrada do diretor-executivo da Sprint, Marcelo Claure, no conselho de diretores da Tidal. A aquisição não tira o controle da empresa, que continua nas mãos do rapper Jay Z e sócios, mas abre caminho para uma parceria entre conteúdo e distribuição nas companhias. O valor da transação não foi informado.

O comunicado não detalhou que tipo de oferta será fruto da parceria, mas dá a entender que o serviço poderá ser ofertado por meio de zero-rating, ressaltando que a Sprint oferece planos de dados ilimitados. A legalidade da prática nos Estados Unidos está em aberto, uma vez que a agência reguladora Federal Communications Commission (FCC) está em período de transição com a saída do então chairman Tom Wheeler. Na gestão dele, a entidade condenou serviços de zero-rating da AT&T e Verizon como quebra de neutralidade de rede. Coincidentemente (ou não), Wheeler deixou o cargo na última sexta-feira, 20. Caso o novo chairman indicado pelo novo presidente dos EUA, Donald Trump, seja realmente o republicano Ajit Pai, a possibilidade é de haver um grande relaxamento na regulação, especialmente nas regras de neutralidade de rede, permitindo modelos de negócio como o zero-rating.

O acordo entre Sprint e Tidal também remete à recente proposta de fusão da AT&T com a Time Warner, que indicava uma nova direção rumo à consolidação entre a indústria de conteúdo e a de distribuição. A aquisição, anunciada em outubro do ano passado, ainda não recebeu o sinal verde da FCC e é outro tema indefinido com a mudança na Casa Branca. Apesar de se posicionar primeiramente contra, Trump se mostra mais tolerante às grandes negociações e monopolizações. A consultoria MKM Partners disse em novembro que a transação teria mais chance de acontecer com o então candidato Trump do que com sua rival, Hillary Clinton.

A Tidal está disponível em 52 países e possui catálogo de mais de 42,5 milhões de músicas e 140 mil vídeos. Além de alguns artistas exclusivos, a plataforma oferece áudio de alta definição, sem perdas na compressão (losless). A Sprint prometeu a criação de um "fundo de marketing" dedicado especificamente aos artistas, permitindo que os artistas criem e compartilhem o trabalho. Para o serviço over-the-top, a parceria com uma operadora pode significar uma vantagem na disputa mercado com concorrentes como Apple Music e Spotify. A Tidal está disponível no Brasil com assinaturas mensais em dólar e que variam de US$ 3,99 no plano Premium (qualidade normal) e US$ 7,99 no plano HiFi (qualidade losless).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.