Receita da Telmex cai 5,7% no México no terceiro trimestre

A base de clientes da Teléfonos de México (Telmex) manteve-se inalterada no terceiro trimestre deste ano em relação ao segundo trimestre, com 17,7 milhões de usuários no México. Isto mostra que a empresa tem atravessado com segurança a batalha com a introdução da portabilidade numérica, em julho último. Mas, por outro lado, demonstra também que não há crescimento do serviço, o que se dá, principalmente, na telefonia celular. No total, a receita caiu 5,7% no trimestre.
A participação da Telmex no mercado de telefonia fixa em seu país de origem é similar à de outras incumbents em seus países: USA, 89,8%; Espanha, 87,8%; e Alemanha, 98%. Se o mercado móvel fosse incluído no cálculo, a participação da Telmex seria de 17,2%, afirmou o diretor financeiro da empresa, Adolfo Cerezo, durante conferência para analistas, nesta quarta, 22, para divulgar os resultados financeiros do terceiro trimestre.
A empresa também está aumentando o Capex inicial para banda larga em resposta à reação positiva do mercado. Os projetos em andamento indicam a aplicação de US$ 100 milhões até o final do ano. O investimento acumulado até setembro atingiu US$ 556 milhões. Por outro lado, durante o terceiro trimestre foram destinados recursos de 2,5 bilhões de pesos para aquisição de 197,28 milhões de ações próprias (o Capex é determinado em pesos, mas as decisões são calculadas em dólar). O Capex para 2009 depende de algumas análises. A empresa procura por alternativas menos dispendiosas. Segundo o executivo, o preço é um fator importante, mas, ao mesmo tempo, a mobilidade wireless implica em serviços de banda larga.

Notícias relacionadas

Banda larga e TV paga

O Infinitum, serviço de provimento de acesso em banda larga (ADSL), continuou em crescimento no último trimestre, com participação de 24,7%. Isto mantém o México como um dos países com maiores taxas de crescimento, o que é apoiado pela venda de computadores, com parcelamento em até 48 meses.
Na área de televisão por assinatura, segundo a empresa, apesar de ter cumprido todos os requerimentos para poder oferecer serviços de vídeo, ainda não há uma resolução favorável das autoridades mexicanas. O acordo de convergência foi emitido pelo governo federal em 2006. O diretor financeiro disse que a empresa investiu para oferecer este serviço e quer aplicar mais ainda, mas para isto precisa ter uma visão clara do cenário regulatório. "Isto afeta não só a Telmex, mas todo o país", disse ele.

Crise financeira

E apesar da situação econômica mundial, que resultou na desvalorização do peso e aumento do preço dos insumos, a operadora mexicana garantiu que continuará a reduzir o preço de seus serviços. Para Cerezo, uma possível recessão será um desastre para o México. Mas assegurou que a empresa sabe como sobreviver numa crise assim. A dívida total da Telmex atingiu em setembro o equivalente a US$ 9,45 bilhões, 86,7% de longo prazo e 77,8% em moeda estrangeira. A empresa destaca que US$ 7,42 bilhões são para minimizar os riscos de variações cambiais. Estão contratadas coberturas cambiais de US$ 6,37 bilhões em pesos. A Telmex informa também que 42,9% da dívida total tem taxa fixa.

Receita

A receita da empresa mexicana atingiu 31 bilhões de pesos no trimestre (US$ 2,28 bilhões), com queda de 5,7% em relação a igual período de 2007. O acumulado nos nove meses deste ano foi de 93,13 bilhões de pesos (US$ 6,85 bilhões). O maior declínio foi na receita de interconexão (-16,1%), seguido por longa distância nacional (-12,9%), internacional (-11,7%) e telefonia local (-11%). O Ebitda caiu 11,1%, para 14,35 bilhões de pesos (US$ 1,055 bilhão), embora a margem Ebitda ainda se mantenha em 46,2%, apesar da queda de 2,8%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.