Telesat planeja constelação de satélites para competir com mercado de fibra

A Telesat é mais uma empresa que está apostando no conceito de constelações de satélites de órbita baixa (LEO). A empresa promete para 2021 uma rede de 72 satélites com órbita polar, a cerca de 800 km de altitude, que proverá serviços de banda larga com velocidades e latência equivalentes às de soluções de fibra. Segundo Michael Schwartz, Senior VP de desenvolvimento da Telesat, que participou nesta quinta, 22, do Congresso Latinoamericano de Satélites, a comunicação por redes de satélite de órbita baixa da Telesat terá como vantagem única a possibilidade de ser feita ponto a ponto, sem passar por estações em terra. Isso porque os satélites serão mais sofisticados do que outros projetos semelhantes, já tendo capacidade de roteamento IP e comunicação direta entre eles . Além dos 72 satélites em órbita polar, a Telesat pretende colocar mais 10 satélites em órbita inclinada, o que permitirá a cobertura de todos os pontos do planeta com a mesma capacidade. Quando estiver completa, a constelação deve ter cerca de 200 satélites, em contraste com os cerca de 720 satélites da OneWeb, que planeja uma infraestrutura similar. O Objetivo desse tipo de serviço, diz Schwartz, é oferecer custos competitivos com as redes de  fibra, mas com maior segurança, confiabilidade e disponibilidade global.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.