Claro tem 55% do consumo de energia 'blindado' de bandeiras tarifárias; meta é 80%

A Claro avalia que 55% de seu consumo de energia já esteja "blindado" de oscilações tarifárias por conta da produção do insumo para uso próprio. Até o meio de 2022, a meta da operadora é ampliar a condição para 80% do consumo energético.

As informações foram compartilhadas pelo diretor de infraestrutura e logística da empresa, Hamilton Silva, durante evento online realizado nesta quinta-feira, 22. "Em julho do ano que vem, a gente pretende chegar em posição de 80% do consumo blindado a respeito de bandeiras tarifárias", afirmou Silva.

O executivo lembrou que a Claro tem o maior projeto de geração distribuída do País em termos de unidades atendidas. O "bolso" teria sido o principal motivador para o programa iniciado em 2017, visto a conta anual de energia "na casa do bilhão". Já a integração da iniciativa com a pauta ESG seria um movimento mais recente.

Notícias relacionadas

Hoje, 52 usinas de diferentes matrizes renováveis estão em operação para suporte da operadora. Elas abastecem mais de 20 mil unidades consumidoras e cerca de 40% das unidades de baixa tensão da tele, como prédios, torres e lojas. Já 300 unidades consumidoras de média tensão são atendidas via mercado livre de energia, através de parcerias de longo prazo.

De acordo com Hamilton Silva, o próximo passo é estender metas também para fornecedores (como fez recentemente a Vivo). "Queremos ter um processo sustentável fim a fim, não garantindo apenas a nossa parte. Vai chegar um momento em que vamos cobrar parceiros que já estão vendo metas se aproximarem mas não estão sendo cobrados de forma efetiva", sinalizou o diretor da Claro, no evento promovido por CPFL Soluções e Futurecom.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.